Autor Tópico: Ajuda e dicas de tradução e legendagem  (Lido 2843 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 11 233
  • Tópicos: 2 206

Ajuda e dicas de tradução e legendagem
« em: Sábado, 03 de Setembro, 2011 - 21:47 »

Orientações para legendagem

Importante: Consultar o tutorial de Subtitle Workshop, o melhor programa gratuito para traduzir e legendar.


01
O tempo mínimo de uma legenda deve ser de 800 milisegundos e o tempo máximo de 7, embora este último possa variar. No entanto se uma frase de 5,6 segundos, por exemplo, puder ser lida facilmente em duas de 2,8 segundos, esta segunda alternativa é sempre preferível.


02
O número máximo de caracteres por linha deve ser de 40, podendo excepcionalmente ir aos 42. Atenção que os símbolos de itálico, o i entre <>, "não contam" como caracteres, já que não vão aparecer quando estivermos a visionar o vídeo. Por isso, uma linha que tenha 43 caracteres, com os caracteres < i> no início, é válida.


03
Colocar em itálico as frases que estiverem a ser proferidas pelo narrador, mesmo que seja este o único a falar durante todo o documentário. Em itálico também devem ficar: frases vindas de gravações, televisão, rádio, telefone, etc.

04
Sempre que houver uma frase que não a do narrador que contenha um estrangeirismo, neologismo, calão, uma palavra inventada ou sem tradução, esta deve ficar também em itálico. Ex: O cowboy caiu.


05
Uma legenda deve coincidir sempre em tempo ao que está a ser dito.
Por exemplo, uma pessoa está a dizer 2 frases, mas a legenda correspondente à sua frase só aparece quando a pessoa já a começou a dizer. Isto não deve acontecer e é muito importante.


06
O aspecto visual da legenda tem bastante importância, especialmente se esta tiver duas linhas.
Sempre que possível, a legenda de cima deve ficar com menos caracteres do que a de baixo e não o contrário.


07
As legendas nunca devem terminar da seguinte forma:

legenda 1 -> Ele foi a Lisboa e ficou por
legenda 2 -> lá a passear.

É sempre preferível a seguinte forma:

legenda 1 -> Ele foi a Lisboa
legenda 2 -> e ficou por lá a passear.

O "e" que serve de elemento de ligação deve ficar, de preferência, no início e nunca no fim de uma linha.


08
No caso de um diálogo, o travessão deve ser seguido de um espaço.


09
As aspas devem utilizar-se quando estamos a citar alguém, quando se traduz um termo irónico ou nomes de obras literárias, cinematográficas e outras.
Exemplos:
Ele disse: "Tenho algo para te dar".
O livro "O código de DaVinci" foi um sucesso de vendas.

No caso do primeiro exemplo, o ponto deve ficar fora das aspas, uma vez que fecha a frase como um todo. A pontuação fica dentro das aspas nos seguintes casos:
- Ele disse: "Tenho algo para te dar. Não to dei ontem, porque não estavas em casa."
- Ele questionou-o, dizendo: "Tens algo para me dar?"




Orientações para tradução

Sítios de auxílio à tradução:
» Ciberdúvidas
» Priberam (consultar "Dúvidas linguísticas", "Gramática" e "Abreviaturas".
» Flip
» Infopédia
» Léxico
» MacMillan Dictionary
» Merriam-Webster
» Dictionary.com
» Convert World
» Online Conversion
» Xe




01
Tentar traduzir o mais fielmente possível, ou seja, traduzir exactamente aquilo que está a ser dito, de modo a não distrair quem vê e a ser o mais exacto na mensagem que se está a querer passar. No entanto, traduzir fielmente não quer dizer que se tenha de traduzir tudo. É preciso saber manter um equilíbrio entre o que se pode omitir de modo a não estender demasiado as frases. O poder de síntese é muito importante e requer alguma prática para não deturpar o sentido da frase.


02
Nomes próprios, devem ser o mais exactos possíveis, especialmente quando a tradução é de raiz. Pesquisar no Google ajuda em 90% dos casos. Os nomes devem ser sempre começados por uma maiúscula.


03
A pontuação é importante. Não esquecer de terminar as frases sempre com ".", "!" ou "?". Nunca repetir estes dois últimos.


04
Não utilizar as reticências "..." quando se passa de uma legenda para a outra. Apenas quando a frase fica suspensa, quando alguém muda abruptamente de assunto ou quando se faz uma pausa muito grande.


05
Os nomes próprios (pessoas, instituições, disciplinas, países), estações do ano ou acontecimentos importantes devem começar por letra maiúscula. (ver igualmente o ponto 28)


06
A referência a séculos deve ser sempre feita em numeração romana.
Ex: Chegámos à Índia no séc. XV.


07
Os números devem ser separados por pontos "." nos milhares. Ex: Aos 5.800 metros é difícil respirar.
Quando se trata de números decimais, separar por vírgulas. Ex: Ele saltou 4,98 metros.
Dica: no caso de milhares exactos, como 2.000, visualmente fica melhor colocar "2 mil".


08
Deve sempre procurar-se fazer as conversões para o nosso sistema. Fahrenheit para graus celsius, milhas para metros ou quilómetros, galões para litros, câmbios, etc.


09
Traduzir Mr. e Mrs. para Sr. e Sra.


10
No final de cada tradução, utilizar sempre um corrector ortográfico. Há sempre qualquer coisa que escapa. O do Microsoft Word que é muito bom e o Subtitle Workshop também o tem incorporado (Ctrl+I).


11
Evitar as redundâncias do tipo:
O João vai pela IC2 mas depois ele volta pela A1 - aqui o "ele" é escusado pois já está implícito que se está a referir ao sujeito inicial.


12
Atenção aos falsos cognatos (o que é?)
Existe uma lista muito boa aqui.




Dúvidas gramaticais


Sítios de auxílio:
» Ciberdúvidas
» Priberam (consultar "Dúvidas linguísticas", "Gramática" e "Abreviaturas".
» Flip



01 "à" ou "há"?
02 "Havia" ou "Haviam"?
06 "Porque" ou "Por que"?
08 "Demais" ou "De mais"?
09 "Se não" ou "Senão"?
10 "Ter de" ou "Ter que"?
13 "Enquanto que" ou "Enquanto"?
14 "Presidir a" ou "Presidir ao"?
15 "Estar para" ou "Estar por"
16 A tradução de "eventually"
17 "Informar que" ou "Informar de que"?
18 Maiúsculas em símbolos químicos





01
"à" ou "há"?

"Há" deriva sempre de algo relacionado com tempo e do verbo haver.
Exemplos:
Há 50 anos era tudo diferente. (nota que é escusado escrever "Há 50 anos atrás", porque seria uma redundância, já que o verbo haver já implica passado)
Há 50 pombos no pombal.
Há vários pontos a considerar.

"À" é um artigo definido e utiliza-se antes de um substantivo:
À Maria vou dar um queijo.
Sábado vou à Serra da Estrela.



02
Havia ou haviam?


A flexão do verbo haver varia consoante o seu emprego. Assim, quando este é empregue como verbo principal, com os sentidos de “existir” (em 1.a), de "ter decorrido" (em 2.a) e de “acontecer” (em 3.a), ele é impessoal, i.e., utiliza-se apenas na 3ª pessoa do singular. Daí a má formação das frases 1.b), 2.b) e 3.b), assinaladas com asterisco (*):

1. a) Houve muitos deputados investigados.
b) * Houveram muitos deputados investigados.
2. a) Havia duas horas que estava à espera.
b) * Haviam duas horas que estava à espera.
3. a) Na semana passada houve muitos acidentes.
b) * Na semana passada houveram muitos acidentes.

Quando é empregue como verbo principal com outros sentidos que não os de "existir", "ter decorrido" ou "acontecer", é flexionado em todas as pessoas:

4. a) Os organizadores do colóquio houveram por bem encomendar uma sondagem. [achar, considerar]
b) E que bem se houveram os portugueses no confronto! [avir-se]

O verbo haver emprega-se ainda como auxiliar em tempos compostos, sendo também flexionado em todas as pessoas:

5. As encomendas haviam sido entregues.

Como se pode ver pelas frases 4-5, a 3ª pessoa do plural do pretérito perfeito do verbo haver existe, pelo que o conjugador deve incluí-la, não podendo é ser utilizada nos casos em que o verbo é impessoal.

em Priberam



03
Hífen com o prefixo re-

O uso do hífen deve seguir o disposto no texto legal em vigor para a ortografia portuguesa, o Acordo Ortográfico de 1945, especialmente nas bases XXVIII a XXXII. Não há, nesse acordo, qualquer referência ao prefixo re-, pelo que, por omissão de especificação, não deverá usar-se hífen com este prefixo, havendo, quando necessário, adaptações para respeitar as regras da ortografia (ex. re- + ratificar =rerratificar; re- + surgir =ressurgir; re- + hidratar = reidratar). É esta a posição de Rebelo Gonçalves no seu Tratado de Ortografia, integrando o prefixo re- entre os que "não serão, em caso algum, seguidos de hífen".
Como esta é uma dúvida muito frequente com outros prefixos (ex. pre-), o utilizador da língua deve aprender a fazer inferências de regras a partir de outras palavras registadas pela tradição lexicográfica portuguesa. Assim, em casos como reensaio ou reemissão, será pertinente procurar em dicionários portugueses outras palavras com o prefixo re- seguido da letra e. No Dicionário da Língua Portuguesa On-line, por exemplo, se fizer esta pesquisa escrevendo ree* (que corresponde ao início da palavra seguido de quaisquer caracteres), poderá verificar que há um largo conjunto de palavras que têm o mesmo contexto ortográfico, o que indica que estas palavras estarão assim bem formadas. Se, por outro lado, pesquisar re-e*, não encontrará nenhuma outra palavra registada com o mesmo contexto ortográfico, o que poderá indicar que as grafias re-ensaio ou re-emissão estariam incorrectas.

Bibliografia: REBELO GONÇALVES, Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa, Coimbra: Atlântida, 1947, pp. 252-256.



04
Maiúsculas e minúsculas. Quando utilizar?

























05
Ganho ou ganhado?

"O verbo secar tem duplo particípio passado: secado e seco. Nos verbos em que este fenómeno acontece, o particípio regular (ex. secado) é geralmente usado com os auxiliares ter e haver para formar tempos compostos (ex. a roupa já tinha secado; havia secado a loiça com um pano) e as formas do particípio irregular (ex. seco, seca, secos, secas) são usadas maioritariamente com os auxiliares ser e estar para formar a voz passiva (ex. a loiça foi seca com um pano; a roupa estava seca pelo vento) e assumem mais facilmente o papel adjectival (ex. este bolo ficou demasiado seco). Por este motivo, é usual não haver flexão do particípio regular, pois este não é geralmente usado como adjectivo, não flexionando em género, número ou grau (ex. *secada, *secados, *secadas; *muito secado; o asterisco indica agramaticalidade).
Estas considerações, tomadas da gramática tradicional, têm no entanto muitas excepções, o que evidencia a problemática da questão e a ausência de respostas peremptórias para certas questões linguísticas. A título de exemplo, podemos referir que há verbos cujo particípio abundante não é consensual (com resoluto e resolvido, por exemplo, não é claro se o primeiro é particípio irregular de resolver ou adjectivo cognato; relativamente ao verbo ganhar não é unânime a existência do particípio ganhado a par de ganho); há verbos cujo particípio regular, ao contrário de secado, também tem uso adjectival (ex. confundido,empregado); há até indicações de alguns gramáticos para diferenças de utilização dos dois particípios baseadas em critérios semânticos e não sintácticos (por exemplo, Cunha e Cintra, na Nova Gramática do Português Contemporâneo [lisboa: Ed. João Sá da Costa, 1998, p. 442], sugerem que o verbo imprimir só tem duplo particípio quando significa 'estampar, gravar', com o exemplo Este livro foi impresso em Portugal, e não quando significa 'imprimir movimento', com o exemplo Foi imprimida enorme velocidade ao carro)."



06
"Porque" ou "Por que"?


1 – Escreve-se porque:
a) Quando é conjunção causal:
– "Não saio, porque está a chover."
 b) Quando é conjunção final:
 – "Os portugueses foram para o mar, porque (=para que) descobrissem novos mundos."
 A(c)tualmente, pouco se usa porque como conjunção final, mas era vulgar nos nossos clássicos. No entanto, ainda às vezes se emprega:
 – "Faço votos porque (= para que) sejas feliz."
 c) Quando é advérbio interrogativo:
 – "Porque é que ele não veio?"
 – "Porque fizeste isso?"
 – "Diz-me lá porque faltaste à aula?"
 2 – Escreve-se por que, quando são duas palavras diferentes:
 a) Por (preposição) + que (pronome relativo):
 – "Vinte mil contos é a quantia por que (= pela qual) vendi a minha casa."
 – "Os motivos por que (pelos quais) não vou, já os disse."
 b) Por (preposição) + que (pronome interrogativo adjunto):
 – "Por que (= por qual) razão não vieste?"
 – "Por que (= por quais) livros estudaste?"
 – "Não sei o motivo por que (= pelo qual) não vieste".
 – "Por que esperas? (= por que coisa) esperas?"
 Nota – Não confundir com:
 "Porque esperas?" (= Porque estás à espera?)
 c) Por (preposição) + que (conjunção integrante):
 – "Anseio por que venhas (= anseio que venhas)."

em Ciberdúvidas


07
Uso do se reflexo

 Sendo o se reflexo objecto directo do verbo, a sua posição normal, no português europeu, é enclítica (depois do verbo): «Lavou-se, vestiu-se e olhou-se ao espelho.»
 Existem, todavia, casos em que não é aceitável, na norma culta, esta colocação:
 1 – Quando o verbo está no Futuro ou no Condicional, o pronome é colocado em situação mesoclítica (no meio do verbo): «Lavar-se-á, vestir-se-á e olhar-se-á ao espelho»;
 2 – Quando o verbo é precedido de palavra negativa, o pronome fica em situação proclítica (antes do verbo): «Nunca se lavou», «Ninguém se olhou ao espelho»;
 3 – Nas orações iniciadas por pronomes ou advérbios interrogativos, é também a próclise que prevalece: «Quem se levantou a meio da noite?», «Por que razão se olha ela ao espelho?»;
 4 – Idem, nas orações iniciadas por palavras exclamativas ou nas que exprimem desejo: «Que se vista rapidamente!», «Deus se compadeça dos vencidos»;
 5 – Também nas orações iniciadas por «quando» se deve colocar o pronome em próclise: «Quando se levantou, era noite escura»;
 6 – Com o gerúndio regido da preposição em: «Em se levantando virá falar consigo».
 Além destes casos, outros há em que a língua portuguesa tende a usar o se reflexo em situação proclítica, tornando-se demasiado longo enumerá-los exaustivamente. Sugiro, pois, que o nosso consulente nos apresente contextos em que a colocação do pronome lhe pareça duvidosa.

em Ciberdúvidas


08
Demais ou de mais?

Vejamos, então, o que significam demais e de mais. São quatro as acepções a considerar.

A. Demais, uma só palavra, pode ser um pronome ou um determinante indefinido, equivalente a «outros», «outras», «restantes». Exemplos:

(1) «Entraram na igreja só três excursionistas; os demais ficaram a apanhar sol no jardim» (= os outros, os restantes).
(2) «Daquelas senhoras, uma comeu peixe, as demais comeram carne» (= as outras, as restantes).
(3) «Toda a gente já ouviu falar de Luís de Camões, de Fernando Pessoa, de Miguel Torga e dos demais escritores indicados nos programas de Português do ensino secundário» (= os outros).

B. Demais (ou ademais), uma só palavra, também pode ser um advérbio com a função de conector, que significa «além disso», «de resto». Exemplos:

(4) «Esse trabalho é muito difícil; demais, é mal pago» (= além disso).
(5) «Não lhe obedeças; demais, essa determinação não está no regulamento» (= de resto).

C. Demais, uma só palavra, pode ainda ser um advérbio que exprime o modo ou a intensidade e significa «muitíssimo», «excessivamente», «em demasia», «demasiadamente». Emprega-se intensificando formas verbais, advérbios ou adjectivos. Exemplos:

(6) «Ele fuma demais» (= fuma excessivamente, em demasia: o acto de fumar é praticado excessivamente).
(7) «Aquele rapaz dorme demais» (= dorme excessivamente, em demasia).
(8) «A jarra é frágil demais; vai partir-se» (= muitíssimo frágil, demasiado frágil).
(9) «Ele é bom demais» (= muitíssimo bom).
(10) «Obrigada, mas não vou convosco: estou cansada demais» (= demasiado cansada).
(11) «Para aquele pasquim, ele escreve bem demais» (= muitíssimo bem).
  
D. De mais, duas palavras, é uma locução adverbial (formada pela preposição de e pelo advérbio mais) que exprime a ideia de quantidade, de quantificação. Tem um significado equivalente a «a mais», oposta a «de menos», e aparece ligada a substantivos. Traduz a ideia de quantidade, e não a de modo (a de intensidade). Exemplos:

(12) «Comprei discos de mais» (= comprei mais discos do que devia).
(13) «São de mais os livros que tenho para ler» (= são mais livros do que aqueles que tenho tempo para ler; são livros a mais).
(14) «O chá tem açúcar de mais» (= tem mais açúcar do que devia).
  
Ainda um esclarecimento acerca do conteúdo dos pontos C e D: demais emprega-se nas situações em que se empregaria um advérbio, ou seja, uma palavra invariável, enquanto de mais se emprega quando se empregaria um quantificador, ou seja, uma palavra variável que quantifica um substantivo.
Exemplos:

(15) «Ele trabalha demais» (= ele trabalha muito – invariável, pois o advérbio modifica um verbo, o verbo «trabalhar»).
(16) «A jarra é pequena demais» (= a jarra é muito pequena – invariável, pois o advérbio modifica um adjectivo, o adjectivo «pequena»).
(17) «Ele tem problemas de mais para resolver» (= tem muitos problemas – variável, pois trata-se de um quantificador do nome «problemas»).
(18) «Neste canteiro há flores de mais» (= há muitas flores – variável, pois trata-se de um quantificador do nome «flores»).

A este propósito, gostaria de referir João Costa, que, na obra O Advérbio em Português Europeu (Edições Colibri, 2008, pp. 63-64), estabelece a diferença entre advérbios de quantidade e grau (entre os quais, refere o advérbio demais) e quantificadores. Refere este autor que muitos dos advérbios de quantidade e grau «podem ser utilizados como quantificadores no sintagma nominal» e que «a diferença entre advérbios e quantificadores pode ser detectada pelo facto de apenas estes flexionarem em género e número», acrescentando que «os advérbios, sendo palavras invariáveis, não apresentam estas marcas de flexão». E dá os seguintes exemplos:

  (19) «Tenho bastantes livros» (bastantes – quantificador)
  (20) «Já sei bastante» (bastante – advérbio)
  (21) «Tenho muitos livros» (muitos – quantificador)
  (22) «Comi muito» (muito – advérbio).



09
O uso de "senão" e "se não"

A) Se não - Conjunção condicional se e o advérbio de negação não. Eis as seguintes frases:
1) Se não = caso não: Vou passear se não chover (= caso não chova).
2) Se não = quando não: Isso parece solução difícil, se não impossível: (=... quando não impossível) se não for impossível.
3) Antigamente, tal solução seria boa, se não óptima (= quando não óptima/se não fosse óptima).
Como vemos, nas frases 2 e 3, casos há em que podemos subentender o verbo ser.
2. Se não - Advérbio interrogativo se e advérbio de negação não:
4) Perguntei-lhe se não concordava comigo.
5) Eu queria saber se não vais ao Algarve.
Nas frases 4 e 5, à palavra se chamam no Brasil conjunção integrante. É preferível a nossa denominação.
B) Senão - Pode ser conjunção e substantivo. E entra em locuções.
1 - Conjunção, quando significa:
a) a não ser, excepto, mais do que:
6) Não fazes mais nada senão trabalhar.
7) A Maria não é mais senão (e do que) uma linda flor.
b) mas, mas sim, mas também.
8) Ajudar o próximo não pertence ao governo, senão a todos nós.
c) caso contrário, de contrário:
9) Fecha a janela, senão entra o frio.
Em frases como esta, podemos empregar se não, se subentendermos o verbo anteriormente empregado. Mas temos de modificar a pontuação:
10) Fecha a janela. Se não (a fechares), entra o frio.
2 - Substantivo
Como substantivo, significa defeito, erro:
11) O Manuel tem um senão muito grave: é egoísta.
12) Não faças isso, porque é um senão muito grande.


10
"Ter de" ou "Ter que"?


Ter de exprime o dever, a obrigação, a necessidade. Exemplos: «ele tem de estudar mais»; «temos de nos ir embora»; «tenho de me levantar cedo», «tenho de te dar razão».

Em relação à expressão ter que, a tradição normativa considera que está subentendido «algo» ou «muito» ou «alguma coisa» entre o verbo ter e o que, devendo este ser interpretado como pronome relativo («ter alguma coisa que...»).

É de coisa ou assunto que se trata, e não de dever. Exemplos: «não têm
que comer» (= não há comida que eles tenham); «não posso ir ao cinema; tenho que fazer» (= há muitas coisas para eu fazer); «ele percorreu meio mundo; tem muito que contar» (= tem muitas coisas para nos contar); «esta resposta não tem que ver com a pergunta» (= não tem nada que ver, não tem nenhum aspecto, nenhum assunto que possa ser relacionado com a pergunta).


11
União das preposições com os artigos indefinidos

Devemos empregar de um, e também de o (e não do), quando a preposição de não se ligar ao artigo que se lhe segue, mas a palavra/s que vem/vêm mais à frente:
(1) O facto de uma pessoa trabalhar...
(2) O facto de um aluno ser mal comportado...
A preposição de não se encontra ligada ao artigo, mas às palavras sublinhadas à direita.
O mesmo se dá com de + pronome/determinante:
(3) Apesar de este director estar livre...
(4) A resolução de ele ir ao Porto...
(5) Já é tempo de aquelas pessoas terem juízo.
(6) Depois de isso estar estabelecido...
(7) Não quer saber o porquê de isto ter acontecido?
Etc., etc.


12
É erro crasso dizer-se que «Fulano foi diagnosticado com», porque o que foi diagnosticado foi a doença dessa pessoa, e não a pessoa.


13
"Enquanto que" ou "Enquanto"?


"A expressão "enquanto que" é condenada por Rodrigo Sá Nogueira no seu Dicionário de Erros e Problemas de Linguagem da forma seguinte:
«Diga-se enquanto sem aquele que. Diga-se, por ex.: 'Pedro estudava enquanto o amigo brincava', em vez de: 'Pedro estudava enquanto que o amigo brincava'. - A construção 'enquanto que' deve ser resultado da analogia com 'ao passo que', que lhe é equivalente, se é que não há aqui influência do francês "pendant que".(...) - Em quanto que provém de imitação do francês "tandis que". Manuel Bernardes, na Nova Floresta, II (1759), 334, tem todavia: 'Mas d'estes conselheiros... dissera eu o mesmo em contrário sentido, em quanto res sacra quer dizer cousa maldita'. - Como se vê, há aqui três sugestões para explicar a construção 'enquanto que': 1.ª -- resultado da analogia com 'ao passo que'; 2.ª -- influência do francês "pendant que"; 3.ª -- imitação do francês "tandis que".
 O brasileiro Napoleão Mendes de Almeida, no seu Dicionário de Questões Vernáculas também mostra não apreciar a expressão:
«O que nem todos sabem é que enquanto também significa 'ao passo que', ou seja, pode ser empregado com sentido adversativo: 'João é estudioso, enquanto António não é' - 'Você se saiu bem, enquanto eu me saí muito mal'.
 «O que nos leva a tratar desta conjunção é precisamente o emprego dela com este segundo significado, pois andam por aí, talvez por causa do 'que' da locução sinônima 'ao passo que', a escrever 'enquanto que'. Nada disto; joguem fora este 'que' e passem a escrever como ficou exemplificado: 'Você se saiu bem, enquanto eu me saí muito mal'.»
 Do Brasil, no entanto, vem Domingos Paschoal Cegalla com o seu Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa onde se pode ler sobre «enquanto que» o seguinte:
«A conjunção enquanto une orações que expressam: a) fatos simultâneos: Malha-se o ferro enquanto está quente. b) fatos opostos: Uns trabalham enquanto outros se divertem.
 «No segundo caso, para que o contraste entre os dois fatos fique bem nítido, pode-se usar, em vez de enquanto, a locução enquanto que, equivalente a ao passo que: Uns trabalham enquanto que outros se divertem. / Somente alguns criminosos foram presos, enquanto que a maioria deles continua em liberdade. / Para as grandes empresas, o custo do dinheiro ficou em 20% ao mês, enquanto que para as pequenas a taxa atingiu 26%.»
 Nesta questão, como vê, não há unanimidade, embora me pareça que a maioria, até à data, se opõe ao «enquanto que»."

em Ciberdúvidas


14
"Presidir a" ou "Presidir ao"?


O verbo presidir pode ser (cf. J. Malaca Casteleiro, Dicionário Gramatical de Verbos Portugueses, Lisboa, Texto Editora):

— um verbo intransitivo e rege a preposição a, no sentido de «ter lugar de honra»: «ele preside ao grupo»

— um verbo transitivo, quando significa «dirigir como presidente»: «ele preside o grupo».

em Ciberdúvidas


15
"Estar para" ou "Estar por"?


Estar para indica iminência de acção: estou para sair (quer dizer: vou sair não tarda nada). Estar por, seguido de infinito, aponta para acção não realizada quanto ao verbo seguinte (está tudo por fazer = nada está feito; estes livros estão por ler = ainda não foram lidos). Estar por usa-se seguido do substantivo ajustes, no sentido de "estar disposto, estar de acordo" (ela não estava pelos ajustes), sobretudo na forma negativa. Claro que há ainda outros empregos de estar por: estar por cima, estar por baixo, estar por muito tempo, etc. (situações de lugar ou tempo). Só o primeiro caso é nitidamente forma perifrástica, por equivaler a um tempo simples, neste caso o futuro do indicativo: estou para sair = sairei (já, daqui a instantes).

em Ciberdúvidas


16
A tradução de "eventually"


Existe um erro que se vê recorrentemente em traduções do inglês para o português relativamente à palavra "eventually". Se em português "eventualmente" quer dizer "fortuitamente", "possivelmente", "de forma incerta ou imprecisa", "eventually" não se traduz por "eventualmente" já que tem um sentido totalmente oposto, ou seja, "eventually" traduz-se "por fim", "finalmente", "com o tempo", sempre com o sentido de realização e casualidade.


17
"Informar que" ou "Informar de que"?


Dizemos informar alguém «de alguma coisa», «acerca de alguma coisa», «a respeito de alguma coisa».
Sempre a preposição de, quando dizemos a entidade que informamos e aquilo de que a informamos. Sendo assim, o correcto é:
a) Informo V.Ex.ª de que hoje falto ao serviço.
V. Ex.ª é o complemento directo de informo.
De que hoje falto ao serviço é o complemento circunstancial de assunto de informo. É uma oração integrante.
Quando a frase não menciona a entidade a quem informamos, não se emprega a preposição de, porque a oração integrante passa a desempenhar a função de complemento directo:
b) Informo que hoje falto ao serviço.

em Ciberdúvidas


18
Maiúsculas em símbolos químicos


Convencionou-se assinalar os símbolos dos elementos químicos com maiúscula [bem como os símbolos das unidades que derivam de nomes próprios (ex.: A, W, Hz)].

Quando os elementos químicos são escritos por extenso (assim como sempre no caso das unidades), escrevem-se com minúscula: hidrogénio, carbono, alumínio. Repare que são nomes comuns, pois designam propriedades comuns de determinadas substâncias, com essas composições atómicas; à semelhança do que fazemos como os compostos químicos com esses elementos, como água, ar, etc.

em Ciberdúvidas
    « Última modificação: Quarta, 18 de Julho, 2012 - 21:48 por FragaCampos »
    Foram abertos os donativos para o docsPT. Para mais informações, consultar esta página
    As legendas que desapareceram vão sendo recuperadas gradualmente
    Saiba como pesquisar corretamente aqui

    shig

    • Ripper
    • Releaser
    • Postador de Legendas
    • Doador
    • br

    • Registo: 03 Mai, 2008
    • Membro: 1012
    • Mensagens: 1 856
    • Tópicos: 525

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #1 em: Sábado, 03 de Setembro, 2011 - 22:11 »
    Mais um título para o Fraga: "Professor de português" :tth:
    Muito obrigado, uma verdadeira aula.

    Light

    • pt

    • Registo: 13 Mar, 2011
    • Membro: 20162
    • Mensagens: 195
    • Tópicos: 11

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #2 em: Quinta, 22 de Setembro, 2011 - 02:28 »




    03
    Colocar em itálico as frases que estiverem a ser proferidas pelo narrador, mesmo que seja este o único a falar durante todo o documentário. Em itálico também devem ficar: frases vindas de gravações, televisão, rádio, telefone, etc.


    Não fica meio esquisito a narração em itálico no doc inteiro?
    Sendo assim as legendas para os diálogos ficam em modo normal, certo?

    FragaCampos

    • Administrador
    • Tradutor
    • Ripper
    • pt

    • Registo: 09 Out, 2007
    • Membro: 1
    • Mensagens: 11 233
    • Tópicos: 2 206

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #3 em: Quinta, 22 de Setembro, 2011 - 03:05 »
    Sim.

    E esta é uma regra que a equipa docsPT usa. Nem toda a gente o faz.
    « Última modificação: Quarta, 09 de Novembro, 2011 - 20:12 por FragaCampos »
    Foram abertos os donativos para o docsPT. Para mais informações, consultar esta página
    As legendas que desapareceram vão sendo recuperadas gradualmente
    Saiba como pesquisar corretamente aqui

    Light

    • pt

    • Registo: 13 Mar, 2011
    • Membro: 20162
    • Mensagens: 195
    • Tópicos: 11

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #4 em: Quarta, 09 de Novembro, 2011 - 15:04 »
    Deixo aqui o link para um dicionário inglês offline, muito útil como podem calcular.
    http://wordweb.info/

    Light

    • pt

    • Registo: 13 Mar, 2011
    • Membro: 20162
    • Mensagens: 195
    • Tópicos: 11

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #5 em: Quinta, 15 de Dezembro, 2011 - 14:42 »
    04
    Sempre que houver uma frase que não a do narrador que contenha um estrangeirismo, neologismo, calão, uma palavra inventada ou sem tradução, esta deve ficar também em itálico. Ex: O cowboy caiu.

    O SW não permite o itálico no meio da frase ou sou só eu?

    ibbins

    • Moderadora
    • Ripper
    • br

    • Registo: 19 Ago, 2008
    • Membro: 1848
    • Mensagens: 10 185
    • Tópicos: 2 244

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #6 em: Quinta, 15 de Dezembro, 2011 - 19:48 »
    Olá, Light!
    Com o SW toda a frase fica em itálico. O recurso que uso são "", para distinguir uma palavra ou parte de uma frase.
    :arrow: A secção de legendas da anterior base de dados perdeu cerca de 2700 entradas por erro de codificação. :arrow2:
    Elas serão restabelecidas gradualmente. Pedimos a vossa compreensão.

    Light

    • pt

    • Registo: 13 Mar, 2011
    • Membro: 20162
    • Mensagens: 195
    • Tópicos: 11

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #7 em: Quinta, 15 de Dezembro, 2011 - 20:08 »
    Boas,
    Pois é isso mesmo que estava a pensar.
    Estava a tentar usar o aegisub só que desisti porque crasha muito aqui para o meu lado.

    FragaCampos

    • Administrador
    • Tradutor
    • Ripper
    • pt

    • Registo: 09 Out, 2007
    • Membro: 1
    • Mensagens: 11 233
    • Tópicos: 2 206

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #8 em: Sexta, 16 de Dezembro, 2011 - 02:07 »
    Dá para fazer, tens de abrir e fechar os itálicos na parte em itálico, tipo:
    Código: [Seleccione]
    <i>Isto é um</i> belo <i>exemplo</i>.
    Foram abertos os donativos para o docsPT. Para mais informações, consultar esta página
    As legendas que desapareceram vão sendo recuperadas gradualmente
    Saiba como pesquisar corretamente aqui

    Light

    • pt

    • Registo: 13 Mar, 2011
    • Membro: 20162
    • Mensagens: 195
    • Tópicos: 11

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #9 em: Sexta, 16 de Dezembro, 2011 - 13:57 »
    Dá para fazer, tens de abrir e fechar os itálicos na parte em itálico, tipo:
    Código: [Seleccione]
    <i>Isto é um</i> belo <i>exemplo</i>.
    O.k.,obrigado!

    Light

    • pt

    • Registo: 13 Mar, 2011
    • Membro: 20162
    • Mensagens: 195
    • Tópicos: 11

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #10 em: Sábado, 17 de Dezembro, 2011 - 15:00 »
    Código: [Seleccione]
    <i>Isto é um</i> belo <i>exemplo</i>.
    Isso não funciona no SW. Os tags afectam a linha toda. :nah:

    FragaCampos

    • Administrador
    • Tradutor
    • Ripper
    • pt

    • Registo: 09 Out, 2007
    • Membro: 1
    • Mensagens: 11 233
    • Tópicos: 2 206

    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #11 em: Sábado, 17 de Dezembro, 2011 - 19:50 »
    Falta uma coisa.
    Tens de ir a Configurações -> Opções -> Geral e activar a opção "Entradas não interactivas"
    Foram abertos os donativos para o docsPT. Para mais informações, consultar esta página
    As legendas que desapareceram vão sendo recuperadas gradualmente
    Saiba como pesquisar corretamente aqui

    Malandro

    • pt

    • Registo: 23 Mar, 2012
    • Membro: 28766
    • Mensagens: 35
    • Tópicos: 9

      • Docs TV
    Re: Ajuda e dicas de tradução e legendagem
    « Responder #12 em: Quinta, 04 de Outubro, 2012 - 17:01 »
    Obrigado Fraga, por toda esta informação.  :good:

    É bastante útil.

    Devia ter lido isto antes.

    Abraço.

    pedro.polidoro

    • br

    • Registo: 23 Out, 2013
    • Membro: 40916
    • Mensagens: 5
    • Tópicos: 1

    Algumas Boas práticas de legendagem
    « Responder #13 em: Sexta, 25 de Outubro, 2013 - 04:12 »
    Prólogo

    Este pretende ser um complemento ao "Orientações para legendagem", postado aqui por 'FragaCampos'.
    Não pretendo aqui reescrever o que já existe em outros guias.
    Deixarei no final endereços para sites com outras dicas, manuais e sites consultados por mim.

    Fontes

    •  Fontes simples
     Em textos principais e extensos como: diálogos, narrações; usar fonte simples, sem enfeites, não serifadas, não estilizadas e facilitadora de leitura rápida.

     ex: Arial, Verdana, Microsoft Sans Serif, Tahoma
     não usar Times New Roman (fonte serifada).


    Consulte no final do texto em links por Tiresias, há excelentes fontes para legendas.

    • Fazer boas escolhas de fontes
     A fonte deve ser coerente com o conteúdo, não usar fontes do tipo comics para um documentário, verificar se a fonte suporta todos os caracteres necessários.

    • Contraste e nitidez
     A fonte e suas cores devem ser legíveis e ter contraste com a imagem.

    • Tamanho para todas as telas
     As legendas devem ter fontes de tamanho legível tanto em telões, quanto em DVDs portáteis, sem serem enormes.
     Legendas do Youtube não precisam ser enormes àquela telinha.

    • Usar fundos o mínimo possível

    • Fundos diminutos
     Usar sempre o fundo que tampe o necessário com o mínimo possível.

     ex: Fundos que parecem pequenas fitas em cada linha que não se tocam, ao invés de um retângulo.

    • Poucas fontes
     Evitar excesso de fontes e manter uma hierarquia coerente.

     (O comum é usar uma fonte, com mudanças de itálico e caixa alta)

    • Itálico e endereço de internet
       - Itálico e sublinhado em url quando:
             + Referir-se a sites reais
             + O objetivo é informar o espectador para que possa visitar o site
             + Vier de um documentário ou entrevista
       - Apenas itálico em url quando:
             + Referir-se a sites fictícios
             + vier de um filme de comédia, desenho, história fictícia
     Para 'somente itálico' pode-se omitir www , ou substituir pelo nome do site.
     Para 'itálico e sublinhado' não omitir www.
     obs: alguns sites não tem www em seu endereço.
     omitir http:// opcionalmente para itálico e sublinhado, e obrigatoriamente para somente itálico.

    • Destacando palavras
      Algumas alternativas são:   
        - caixa alta:principalmente quando não há suporte a itálico, como youtube
        - o itálico: é a forma mais comum porém menos perceptível
        - aspas duplas ou simples
        - negrito: pouco usado

    Posicionamento

    • Destampar imagens importantes
     Reposicionar na tela exibições específicas que estão tampando algum texto, imagem importante ou a boca de quem fala.
     Usar linha única também pode funcionar.

    • Mover exibições ilegíveis
     Caso determinada fonte que tenha contraste em quase todo o filme, não tenha em algum momento específico, tornando ilegível, reposicionar aquela exibição específica na tela, ou colocar fundo preto apenas na exibição sem contraste.

    • Evitar overscan
     Não posicionar legendas muito próximas do limite da tela. Um dos motivos é o overscan.

    •  Barras na tela (?“?letterboxing?”?)
     - Quando ambas as duas linhas da legenda posicionar ocupando toda a barra preta inferior, sendo esta posição não eventual; a linha única deve posicionar-se no mesmo local da primeira linha de uma exibição de duas linhas (linha de cima).

     - Quando ambas as duas linhas da legenda posiciona-se ocupando toda a barra superior, sendo esta posição não eventual; a linha única deve posicionar-se no mesmo local da segunda linha (?linha de baixo?).

    Formatação de linhas

    • Linhas bem espaçadas
      Distância entre linhas moderadamente pequena.

    • Linhas com mudança de interlocutor
      Quando houver linhas de tamanhos diferentes com mudança de interlocutor, a linha maior deve ser centralizada e o início da menor, alinhada com o início da maior.

    • Telas muito largas
      Em telas  larguíssimas pode-se usar um limite maior de números de caracteres por linhas.
      (?telas mais largas que widescreen?)

    • Linhas muito diferentes
      Alguns legendadores não seguem a regra nº 7, de FragaCampos, quando a primeira e segunda linhas, ficam muito diferentes quanto ao tamanho e quantidade de caracteres.

    • Ritmo da fala e quebra de linhas
      Além da regra nº 7 de FragaCampos; quebrar linhas também observando o ritmo da fala.
      Há momentos que é possível as duas coisas.

    • Comprimento de linha
      Para determinar o tamanho máximo da linha, geralmente é determinado o número máximo de caracteres, mas também temos a medida do comprimento em pixeis e o uso de ambos simultaneamente.

    • Se o período entre o início da fala e o término ou pausa, as legendas seguem um padrão de duas linhas; preferir sem rigor terminar como a seguir, caso não haja quebra de sentido ou contra indicação:
     - ultima exibição uma linha, penúltima exibição duas linhas
    ou
     - ultima e penúltima exibição duas linhas

    Temporização

    • Seguir mudança de cena
    Sempre que possível as exibições devem seguir mudanças de cenas

    • Espaçar legendas vizinhas que tem formas iguais ou parecidas, ou quebrar linhas tornando suas formas mais distintas.
      sugestão: 200 milissegundos.

    • Adiantar legendas
      Para quem utiliza gráficos de áudio, temporizar a legenda precisamente com o início da fala e adiantar cerca de 300 milissegundos. Se possível manter sempre o mesmo valor em todo o vídeo; exceto para ajustar a mudança de cena, podendo até atrasar.

    • Sobreposição de mudanças de cenas
      Exibições que sobrepõem mudanças de cenas devem ser moderadas e se possível sempre evitadas.
      Evite exibições que sobrepõem várias mudanças de cenas
      (?meu palpite: número máximo de 2 mudanças de cenas.?)

    Caracteres corretos

    Muito comum representarmos reticências, travessão, apostrofo, de maneira inadequada devido a limitação de caracteres em nossos teclados; além disso há possibilidade de incompatibilidades. Ao representarmos reticências geralmente usamos três pontos finais, as aspas usamos aquelas que eram usadas em máquinas de escrever retas e indiferenciadas. Não precisamos nos preocupar em escrever todos os caracteres corretos, mas ao menos alguns básicos já é suficientemente melhor.
    As combinações de teclas abaixo referem-se aos teclados brasileiros ABNT e ABNT2.
    Combinações de teclas Alt + numeros devem ser digitadas usando o teclado numérico, neste caso não há diferença se o teclado é português ou brasileiro e são aplicáveis aos sistemas operacionais Windows.
    Há diversos códigos para o mesmo caractere, alguns deles não funcionam em algumas situações, mas geralmente mais de um código funcionam sem problemas.

    • Aspas
     Sempre usar aspas tipograficamentes corretas
     Alt + 0147 abre aspa dupla
     Alt + 0148 fecha aspa dupla
     Alt + 0145 abre aspa
     Alt + 0146 fecha aspa

    • Dupla plica
     Para representar polegadas
    Alt + 08243

    • Apóstrofo
     Alt + 039

    • Meia risca
     Diferenciar hífen de meia risca.
     Meia risca é usada para unir extremos e palavras sem formar novo vocabulário.
     É maior que hífen e está presente em algumas legendas profissionais.
     Alt + 0150

     ex: 1–9, Norte–Sul, Novembro–Dezembro

    • Sinal de multiplicação
     - Para representar áreas e dimensões

       ex: Isto têm 23 × 44 cm de área.

    - Para representar multiplicações
      Alt + 0215

      ex: 2 × 3 = 6

    • Reticências
     A diferença é mínima aos três pontos.
     Alt + 0133

    • Espaços incomuns
     Geralmente não usamos espaços para separar aspas, interrogações… Caso use, prefira evitar espaços comuns, exceto em casos de incompatibilidade. Em alguns idiomas como francês, as regras tipográficas recomendam espaço antes de pontuação.
     Alt + 08200 espaço de pontuação
     Alt + 08239 espaço de não separação angosto
     Alt + 08202 espaço ultrafino
     Alt + 08201 espaço fino

    • Frações
     Prefira ¼, ½, ¾ e não 1/4, 1/,2, 3/4.
     Alt + 0189 ½
     Alt + 0188 ¼
     Alt + 0190 ¾

    • Travesão
     Não usar o caractere travessão (?Alt +0151?) em legendas, pois ele é muito grande.
     Usar o hífen/menos, localizado ao lado do zero.

    • Fazer uso de ª e º
      - Em números ordinais
       ex: 23º lugar, 56ª avenida

      - em abreviaturas
       ex: profª., srª

      Alt Gr + [
      Alt Gr + ]
     ou
      Alt + Crtl + [
      Alt + Crtl + ]

    • Fazer uso de ¹, ², ³
     ex: esta área mede 20 cm²
     Alt Gr + 1
     Alt Gr + 2
     Alt Gr + 3

    ou

     Alt + Crtl + 1
     Alt + Crtl + 2
     Alt + Crtl + 3

    • Naipes
     Usar muito raramente
     - copas:   Alt + 3
     - ouros:   Alt + 4
     - paus:   Alt + 5
     - espadas:   Alt + 6

    Grafias

    • Acrônimos e Siglas:

     Qual a diferença?
     Acrônimos são pronunciados regularmente.
     Siglas são pronunciadas letras a letras.

       - Acrônimos até 3 letras em maiúsculo
        ex: ONU, CEP, USA

       - Acrônimos a partir de 4 letras apenas primeira letra maiúscula
        ex: Embratel, Fifa, Detran

       - Siglas todas as letras em maiúsculo
        ex: FBI, INSS, IBGE

    • Abreviaturas com ª e º
     Prefira abreviaturas com ª e º
     srª. ao invés de sra.

    • Ponto abreviativo
     O ponto abreviativo também serve como ponto final. Nunca usar ponto final após ponto abreviativo, basta iniciar com letra maiúscula normalmente.

    • Perguntas exclamativas
     Use ? seguido de !. Nunca o contrário.
     obs: existe o caractere ?! mas não é recomendável para legendagem.

    • Uma unidade de medida apenas
     Para maior concisão e para quando houver pouco tempo de exibição,
     podemos substituir: duas unidades de medidas por uma só.
      - horas e minutos por minutos: 1h20min por: 80min
      - minutos e segundos por segundos: 1min20s por 80seg
      - uma semana e três dias por: dez dias
      - um ano e  dois meses por: catorze meses

    • Grafia de horas ou tempo
      - horas redondas
        + 8 horas, 12 horas (preferível)
        + 8h, 12h
      - minutos apenas
        + 120 minutos
        + 120min
      - segundos apenas
        + 90 segundos
        + 90seg ( não usar 90s)
      - das x às y
        + das 8 às 11 horas ( não usar das 8 horas às 11 horas)
        + das 8 às 11h (não usar das 8h às 11h)
      - horas com minutos; horas com minutos e segundos
        + 8h30
        + 8h30min
        + 8h30min40s
      Sem usar ponto depois de "h", "min", "s" ou "seg". Sem usar 's' para indicar plural.

      - Espaçando
       há quem defenda espaços
        + 8 h 30 min
        + 30 min
        + 8 h
        + 9 h 45 min 6 s
        + 27 sec

    • O ponto e vírgula
     Usar o ponto e vírgula moderadamente.
     Há situações que ponto e vírgula é bem melhor que vírgula.

    • Soletetrando
     Usar hífen entre letras quando interlocutor soletrar

    • Sistema numérico - escala curta e escala longa
     Cuidado com números maiores que 999 999 999. Um bilhão no Brasil não equivale a um bilhão em Portugal. Todos os países lusófonos usam a escala longa exceto o Brasil.

    • Dias, horas - Crase

         Escreva assim:
         entre as 20 e as 24 horas
         desde as 2 horas

         De segunda a sexta-feira
         De terça a quinta-feira

         De 9 as 11h
         De 8h30 as 11h30

         ou

         Da segunda à sexta-feira
         Da terça à quinta-feira

         Das 9 às 11h
         Das 8h30 às 11h30

    • Números de palavra única por extenso
     Escrever nº cardinais ou ordinais de palavra única, preferencialmente por extenso. Nº de mais de uma palavra, escrever em algarismos.

    • Usar moderadamente abreviações como:
     2ª feira; 2 dias

    • Data abreviada
      - escreva: 11-11-2011 ou 11/11/2011 ou 11.11.2011 ou 11·11·2011
      - O ano pode ser registrado com os dois últimos dígitos.
      - O emprego de zero antes do dia ou do mês formado de um só algarismo não é de rigor.
      - escreva o primeiro dia do mês desta forma: 1º
       ex:  01º-08-2002

      - para facilitar a leitura em vídeos para estudantes de português podemos:
        + usar abreviatura do mês ao invés de algarismos
        + usar quatro algarismos para descrever o ano
        + usar espaços para separar.
       ex: 10 nov. 1999
        + possíveis exceções:
      21-9-2002 (nº maior que 12 logo só pode ser o dia do mês)
      21-9-99 ( nº maior muito grande logo so pode ser ano)

    • Vírgula no final
      Usar vírgula no final da última ou única linha sempre que possível.
      Isto ajuda a perceber que o sentido da frase está completo e trás mais conforto a leitura.

    • Evite usar virgula antes ou depois de 'e'

    • Virgula e ritmo de fala
      Podemos usar vírgula seguindo o ritmo de fala e as pausas do interlocutor evitando quebra de sentido e contra indicações.

    • Manter a mesma grafia
      As palavras que apresentam duas ou mais grafias, devem ser utilizadas da mesma forma em todo o vídeo.

    • Evitar palavras muito grandes
      Substituir palavras muito grandes por sinônimos quando possível.
      Meu palpite é: palavras acima de 15 caracteres.

    • Evitar palavras de tamanhos muito parecidos ou iguais em sucessão
     Uma sucessão de três ou mais palavras de três letras (?ou outro numero?)
     é muito mais lento de ler que palavras de tamanhos irregulares.

    contraexemplo: Em um dos dez dias...

    • Palavras repetitivas
     Nomes próprios repetitivos e outros termos, pode-se empregar abreviaturas.

    • Em uma mesma exibição prefira escrever o nome primeiro e depois a sigla ou acrônimo entre parênteses

    • Ordem direta
    Frases em ordem direta de preferência, hipérbato apenas quando for relevante

    ex: Que sejamos felizes em breve. (ao invés de: Em breve que sejamos felizes.)

    Consulte: "Trocando a ordem das palavras"

    • Trocando a ordem das palavras
     Suponhamos que o limite de caracteres por linha seja 27,e temos a seguinte legenda:

        Moro naquela casa bela e        (25 caracteres)
        grande, ao lado das árvores.    (29 caracteres)

     Na segunda linha temos um caractere a mais,se na primeira linha escrevêssemos '...bela e grande', a 1ª linha teria 32 caracteres.
     Para solucionar isto podemos trocar a ordem das palavras

        Moro naquela casa grande e   (27 caracteres)
        bela, ao lado das árvores.       (27 caracteres)

    Agora suponhamos a mesma legenda mas com limite de 28:

        Moro ao lado das árvores,    (26)
        naquela casa grande e bela. (28)

    Repare que bastaria remover a vírgula, mas o objetivo é demonstrar soluções para casos sem facilidades.

    Realmente faz a diferença quando não encontramos palavras substitutivas e não podemos omitir algum termo.

    Outros

    • Extras e pós créditos
     Não esqueça de legendar extras, cenas pós créditos, etc.
     Vasculhe todo o vídeo. Se o vasculhamento for feito em câmera rápida, cenas  apenas com áudio, podem passar despercebidas.

    • Codificação das legendas
      Verificar codificações de legendas para que haja compatibilidade com caracteres especiais e acentos.

    • Legendas uniformes
     Manter legendas uniformes.
      - Procure uniformizar os termos usados caso a legenda for feita por várias pessoas
      - Não misture seqüencias de legendas de menor duração, menos cheias e distribuídas em fárias exibições; com legendas mais cheias de maior duração e distribuídas em menor número de exibições
      - Mantenha a velocidade de leitura uniforme, sempre que possível

    • Além dos cps
      Há outras e melhores maneiras de calcular o tempo de exibição de legendas; neste caso cps não tem de ser prioridade.

    • Enfatizando trechos
     Isole trechos em exibição única para enfatizá-lo.
     Evite mitigar palavras enfatizadas pelo interlocutor.

    • Palavrões
      - Evite eufemizar palavrões
       Só eufemize quanto fizer coerência e quando for necessário
      - Evite excesso de palavrões
       Não é necessário escrever palavrões todas as vezes que alguem o diz, use palavrões com moderação

    • Legenda e perspectiva (?typersetting?)
     Legendas de placas, letreiros, etc que acompanham a perspectiva, inclinação... devem ser usadas apenas em desenhos animados.

    • Evitar provérbios, ditados populares, sentido conotativo ou figurado;
     com moderação observando o contexto.
     Prefira bons substitutos em sentido denotativo ou literal.
     Exceto quando se tornam muito ricos e expressivos, como determinados hinos.

    • Frases não negativas
    Prefira frases não negativas

    ex: Faltei a aula hoje. (ao invés de: Não fui a aula hoje;)
         Ela e ele são maus motoristas. (ao invés de: Ela e ele não são bons motoristas.)


    • Evite repetir 'não'
    Não foi ela. (ao invés de: Não foi ela não.)

    Glossário

    abreviatura: modo de escrever uma palavra com menos letras que as requeridas
    abreviação: ato ou efeito de tornar breve
    typesetting:
    overscan: corte nas extremidades da tela; entremostragem; exibição parcial
    letterboxing: aplicação de barra em vídeo para conversão de proporções sem corte ou distorção
    cps: caracteres por segundo
    obs: observação
    ps: pós escrito
    serifada: com serifa
    serifa: traço nas extremidades de alguns tipos de letra
    mitigar: suavizar
    hipérbato: inversão de ordem das palavras ou orações


    Endereços

    http://rsiqueira.postbit.com/upload/2/posts/unicode.html
    http://www.legenders.com.br/Regras%20e%20Dicas.htm
    http://www.legendasdivx.com/modules.php?name=Forums&file=viewtopic&t=5675
    http://www.ofcom.org.uk/static/archive/itc/itc_publications/codes_guidance/standards_for_subtitling/index.asp.html
    http://tradutorlegendagem.blogspot.com.br
    http://www.pucrs.br/manualred/datas.php
    http://palavraderevisora.blogspot.com.br/2011/04/grafia-das-horas.html
    http://linguaemrevista.blogspot.com.br/2009/08/grafia-de-horas.html
    http://www.pedagogiaaopedaletra.com.br/posts/dicas-de-portugues-grafia-de-datas-e-horas/
    http://concisoecoeso.blogspot.com.br
    http://www.tiresias.org/fonts/fonts_download.htm
    http://www.ehow.com.br/boas-escolhas-fontes-legendas-info_29623/
    « Última modificação: Quinta, 14 de Novembro, 2013 - 23:55 por pedro.polidoro »

    pedro.polidoro

    • br

    • Registo: 23 Out, 2013
    • Membro: 40916
    • Mensagens: 5
    • Tópicos: 1

    Reeditado: "Algumas Boas práticas de legendagem"
    « Responder #14 em: Sábado, 09 de Novembro, 2013 - 00:13 »
    Reeditei o texto e adicionei informações; falta agora alguns detalhes e correções; isto será feito no futuro.
    Agora o texto ficou melhor e mais organizado.  :)
    « Última modificação: Sábado, 09 de Novembro, 2013 - 00:13 por pedro.polidoro »

    Tags: