.: docsPT :. Documentários em português

Secção de Debate => Discussões => Discussão de documentários => Tópico iniciado por: F_Nietzsche em Domingo, 10 de Junho, 2012 - 23h56

Título: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: F_Nietzsche em Domingo, 10 de Junho, 2012 - 23h56
Venho demonstrar minha indignação contra os canais e produtores de documentário, esta cada vez mais dificil encontrar uma boa produção que aborda assuntos interessantes e relevantes, Vamos começar pelo pior canal do gênero na minha irada acida opnião.

:x:History Channel.:x:

Super Humanos: E ainda conseguiram piorar Super Humanos América Latina (que patético), tirando alguns gênios da matemática que uma vez ou outra se prestam a aparecer neste tipo de programa o resto é lixo.
Super humanos pule de cabeça de um prédio de 30 andares e venha contar a história aqui no super humanos

Trato Feito: Uma loja que compra tudo abaixo do preço real e vende com margens exorbitantes, colocando o cliente no patamar de um otário.
Que tipo de programa é esse? Inescrupuloso...Nada mais...

Caçadores de Relíquias: Só um canal com o History pra apresentar esse tipo de programa fajuto que trabalha na mesma linha do Trato feito

O universo: Muitos não vão concordar, mas não passa de um resenha de milhares de documentários famigerados que falam sobre o universo.
Algo de novo?
_NÂO! Resenha, Resenha, Resenha!

Top Shot: Nossa, esse programa é o campeão da futilidade e morbidez humana, um bando de homem brincando de tiro ao alvo (que degradante), seria legal se eles realmente atirassem em algo que vale a pena, minha sugestão hoje Bashar al Assad  :evil:.

Estradas Mortais: Genius dirigindo caminhões em supostos precipícios e desfiladeiros pelo mundo, pura edição, e é um programa que me deixa com muita vontade de não estudar e virar um caminhoneiro do Estradas Mortais e brincar de corrida no Andes com a Lisa.

Alienigenas do Passado: Esse programa é o campeão do besteirol transmita por esse lixo de canal, esse programa tem a cara do falacioso von Däniken, eu já assisti alguns episódios desse lixo, afinal é preciso ver pra criticar, e se existisse uma forma de eu ser reembolsado pelo meu tempo com certeza eu usaria esse recurso, o programa é falacia atras de falacia tendencioso até o ultimo segundo. acho um crime apresentar esse tipo de programa, tenho pena daqueles que são ou foram seduzidos por esse tipo de programa, dificilmente isso causará um efeito positivo.
O programa é tão patético que até o South Park satirizou no 13º episódio da 15º temperada, vale a pena assistir.


:x:Discovery Channel:x:

À prova de tudo: Pura edição tendenciosa, eu me sinto enganado assistindo esse tipo de programa.

Casal selvagem: Bem, é a mesma falcatrua do Á Prova de Tudo, situações programadas e ensaiadas e da lhe edição.

Desafio em dose dupla: Bem, é a mesma falcatrua do Á Prova de Tudo e casal selvagem, situações programadas e ensaiadas e da lhe edição, o diferencial desse programa é o naturalista imbecil que ignora regras básicas de saúde e proteção, e o outro é o "soldado Universal" tapado, ignorante e arrogante.

No pior dos casos: Gostaria de ver o Bear Grylls dar uma aulinha de sobrevivência lá na usina nuclear de Fukushima  :evil:.

Monstros do rio Sério mesmo, a cópia do Pesca alternativa do SBT  :P, atenção no comercial oferecendo o programa:
_È impressionante ver algo que não existe!
Sério? WTF.
Um lixo de extremo mau gosto, qual a graça de perturbar os peixes, imagina o desconforto do animal tirado do seu ambiente privado de respirar por puro prazer de um desocupado, sério vamos inverter os papeis, vamos colocar um peixe pra pescar esse imbecil e vamos ver se ele aguenta ficar debaixo da aguá sem respirar. Olha aqui um alvo interessante pros inuteis do Top Shot do "Garbage Channel" atirar  :evil:

:x:NatGeo:x:

Caçada Aos Generais De Hitler:Outro assunto famigerado Hitler,Hitler,Hitler, Heil Hitler, esse assunto já passou do grau de descrever e apresentar a história, e passou a criar um mito, quase um deus a figura de Hitler

Redescobrindo A Segunda Guerra:Me contem algo novo sobre a segunda guerra mundial  :zzz:
Esse programa demonstra a a exaltação da guerra que os americanos tanto se orgulham e não dispensam nenhuma.

Tabu: Codinome "Freak Show", e conseguiram piorar produzindo a versão América Latina, afinal é bom vem um pouco da vida dos cidadães de um continente sub desenvolvido, sim somos o continente do terceiro mundo, e sim nós temos nossa versão do Freak Show americano

O mestre da pesca: Mesma linha do programa do Discovery Monstros do rio

Não vou analisar todos os programas das emissoras citadas não tenho todo esse tempo, mas minha visão geral é pessimista, faltou o Animal Planet não tenho costume de assistir esse canal, mas não deve ser diferente afinal o canal pertence a Discovery.

Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: doro_boy em Segunda, 11 de Junho, 2012 - 00h17
:lol4: :lol: :lol: :lol:

Muito boa sua crítica, bem inteligente. Ri muito aqui.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: sdmarcial em Segunda, 11 de Junho, 2012 - 00h54
Pois é; na maior parte eu nem chamaria de documentários, e sim, programas de variedades. Há público para isso, assim como para o Fantástico, Faustão, etc. Na minha opinião, Ancient Aliens (Alienígenas do Passado), dos listados pelo colega, é o mais perigoso pois, para os menos informados, pseudo-ciência passa por ciência.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Segunda, 11 de Junho, 2012 - 00h58
Sobre essa historia recomendo o episódio hilariante, mas bem realístico de South Park, chama "A History Channel Thanksgiving” é uma bela de uma crítica...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Terça, 12 de Junho, 2012 - 19h32
Estava a faltar um tópico destes para criticar documentários. Acho que pode virar sucesso cá no fórum. :lol:

Eu adicionava aí uma lista bem maiorzinha... aproveito apenas para citar dois bem recentes que tive a infelicidade de ver: "Nostradamus Effect" e "Life After People Series". É simplesmente agonizante ver tanto lixo...

E agora há um do Discovery chamado "Meteorite Men" onde colocam dois homens a andar pelos EUA à procura de meteoritos... um bocejo total.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Terça, 12 de Junho, 2012 - 20h02
Bem, estava mais do que ansioso por alguém tomar a iniciativa de criar um tópico assim, tanto a falar,kkkkk. Primeiramente, para ir contra a corrente,rsrsrs, preciso defender alguns citados, seja por um carinho injustificável de completar a série enorme ou porque realmente gostei.

History Channel

O History Channel realmente é o campeão de besteirol! Não suporto essas séries sobre revenda de jóias e de trecos antigos..nem a dos monstros do rio (quem não se lembra do pesca & cia, no SBT domingo pela manhã?kkk). Mas discordo sobre:
- O Mundo sem Ninguém (poderiam ter cortado pela metade o número de episódios, mas ganhou pontos comigo pela originalidade da série);
- Super Humanos (a versão América Latina, por favor, é um lixo...), mas a série original tem muitos bons casos. O cara que corre maratonas sem cansar devido à ausência de ácido lático nas pernas foi inesquecível.
- O Universo. Está bem, não assisti um único episódio, mas a série é muito grande, dá aquela sensação de megalomaníaco por ter todos os eps,kkkk.
- Estradas Mortais: é sonolento, mas recomendo a série sobre as estradas da Índia. Pelo menos, pelas belas paisagens,kkk.

Discovery Channel

-À Prova de tudo e no Pior dos Casos são muito eufemistas e mentirosos, mas, sinceramente, aprendi um bocado de coisas que me serão úteis pela vida toda. Afinal, jamais quis ser escoteiro, então foi a chance de aprender!

NatGeo

É aqui onde discordo feiamente de você, amigo F. Nietzsche,kkk. Caçada aos Generais de Hitler mais parece Batalha Naval, mas mira sobre os comandantes em si, daí gostei bastante.

Mas onde toco a corneta e buzino mesmo é a série Redescobrindo a Segunda Guerra! Sinceramente, o tema já foi muito abordado, mas sua justificativa acho vazia, já que passarinho, urso polar e felinos passam na tv frequentemente e ninguém se cansa disso. Acho que você assistiu muitos em seguida, porque a série é maravilhosa. Bem, sou suspeito de falar, gosto muito do tema, como tem gente aqui que mesmo vendo cachorros 24h/dia no Animal Planet ainda vai louvar o Alexandre Rossi no NatGeo, mesmo com uma propaganda nauseante que nos bombardeia em 4 a cada 5 comerciais do canal,kkkkkk. Abração a todos!
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Terça, 12 de Junho, 2012 - 20h05
E já deixo uma série como sugestão pras piores que inaugurou essa semana: aquela sobre a maconha, acho que no NatGeo, pelo amor de Deus...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Terça, 12 de Junho, 2012 - 20h09
"O Mundo Sem Ninguém" não é original... é baseado num livro de grande sucesso e que tive a felicidade de ler. Usaram e abusaram do conceito e fizeram episódios com coisas interessantes, mas totalmente especulativas e espalhafatosas. Eu defendo que sempre se aprende algo num documentário, por muito mau que seja. Há obviamente aqueles que ficam muito aquém da linha que separa o mínimo de qualidade exigível num canal que se quer educacional...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Terça, 12 de Junho, 2012 - 20h20
Bem, não misturemos laranjas com pêras,kkk, "novidade" no sentido de documentários, livros não contam. Acho que esse tópico de críticas pegará fogo. Pessoalmente, não sabia nada sobre como age a corrosão, a umidade, quais os materiais que são afetados por diferentes processos, o comportamento dos animais domésticos sem seus donos, o tempo em que sistemas de transmissão de energia conseguem funcionar sem controle e tal. Poxa, acho que isso é conhecimento bastante!!!kkkkk. Essas séries divagantes sobre "filósofos e a educação", "expedições" da TV Brasil, conhecendo os museus, isso sim acho que nao traz nada de novo nem interessante pra maioria.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Terça, 12 de Junho, 2012 - 20h36
Bem eu acho que um pouco de besteira sempre é bom haha
Eu mesmo gosto de assisti aquele da loja de las vegas, mas não considero educativo, apenas divertido e até que se aprende algo sim. Mas ae porque fez sucesso virou uma febre e agora tem trucentos programas sobre venda de coisa antiga, então não existe critério de programação, muito menos educativa, eles são como canais abertos, o que da ibope fica e vira gênero e então é copiado pelos outros canais também e vira um ciclo vicioso de besteira. Mas sabe de quem é toda a culpa? Das pessoas, elas assistem, gostam e pagam por isso, se os programas educativos dessem mais ibope, eles estariam no ar...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Terça, 12 de Junho, 2012 - 20h52
Eu não disse que não se aprendia nada... apenas considero que a forma e o modelo utilizados não são os mais adequados. Se espremermos bem o seu conteúdo de 45 minutos de episódio, o sumo é muito pouco...

Pessoalmente, não sabia nada sobre como age a corrosão, a umidade, quais os materiais que são afetados por diferentes processos, o comportamento dos animais domésticos sem seus donos, o tempo em que sistemas de transmissão de energia conseguem funcionar sem controle e tal. Poxa, acho que isso é conhecimento bastante!!!
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: luso123 em Terça, 12 de Junho, 2012 - 22h28
Bem, esses três canais vendem novelas...
Qualquer coisa da BBC vale a pena...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: ibbins em Quarta, 13 de Junho, 2012 - 16h46
Vou meter a minha colher nesta cumbuca!
Sim, existem centenas de documentários que nem poderiam ser assim chamados. Pouco informam, quase nada agregam. São quase "lixo". Assim como existem centenas de filmes, shows, etc, que os acompanham!
Mas... se podemos estar a falar disto e a fazermos comparações, é pq o gênero documentário existe de modo consistente. E documentário é a matéria-prima do docsPT. É a matéria-prima do MVGroup. É a matéria-prima da BBC e do gênio criador deste gênero: David Attenborough.

O que não podemos perder de vista é que, para a maioria dos mortais, documentário é um ser estranho, algo que ele desconhece e do qual tem receio.
A televisão, veículo de divulgação por excelência, pouco valor dá ao documentário, exceto nos canais pagos. Mas isto, infelizmente, não é para a maioria dos mortais. Exceto se são pseudo-documentários que "vendem", que são facilmente assimiláveis pelo grande público. As religiões, em geral, temem este gênero, pq ele liberta!

Então, quem vê documentários de qualidade, afinal? Pessoas como nós, privilegiados que somos, por termos tido oportunidade de aprendermos a apreciar o que tem qualidade e relevância para o mundo ser melhor e por termos meios de o fazê-lo! Não me considero e não nos considero melhores do que os outros, apenas diferentes. E isto cria uma responsabilidade enorme em todos e em cada um de nós que por aqui andamos: graças a fóruns como o nosso, podemos apreciar o melhor. Mas o comum dos mortais sequer tem acesso à internet, o que dirá à informação de qualidade.
Por isto as novelas fazem tanto sucesso, por isto são tão difundidas. Quanto mais fino é o tecido social, mais as pessoas precisam se sentir parte de algo, mesmo que este algo seja o mundo das novelas ou dos pseudo-documentários. O ser humano é frágil e só aguenta a sua existência, se encontra referenciais de sua vida em programas de tv que todos veem. Ele se sente parte de um mundo belo, limpo, cheiroso, glamuroso! Esquece da sua vida miserável na favela, onde as paredes da casa mal existem! Onde a comida é escassa e o sofá da sala, com muita sorte, é o colchão de sua cama!
Eu detesto este gênero de documentário, mas entendo que ele é importante para aqueles que vivem na linha da miséria e da pura sobrevivência física!
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Sexta, 13 de Julho, 2012 - 23h36
Encontrei no site randi.org que é da fundação do James Randi que entre outras coisas promove a The Amaz!ng Meeting - TAM. Me parece ser o maior evento mundial sobre ceticismo...
Num tópico eles estavam comentando sobre mais um programa de "caçadores de ets, ufos..." que foi lançado pelo Natgeo. O que queria compartilhar aqui é uma coisa que ele cita, uma notícia onde aparece o executivo dos canais da rede FOX que comanda o Natgeo falando sobre o History Channel e parece que está fazendo historia mesmo http://www.broadcastingcable.com/article/485282-Fox_Wants_Nat_Geo_to_Be_More_Like_History.php (http://www.broadcastingcable.com/article/485282-Fox_Wants_Nat_Geo_to_Be_More_Like_History.php)

Pelo que deu para entender com o Google, como  eles estão dando muita audiência e parece que é o primeiro canal do tipo não ficção, o History está  fazendo os outros canais, Natgeo e Discovery seguirem essa tendencia que é, não investir em documentários individuais ou series documentais sobre ciência, historia etc. Tudo isso está sendo mudado para Reality Shows, serie sem script ou pelo menos fingem que não tem e muita pseudociência, conspiração ou coisas irrelevantes. Claro que todos que assistem esses canais já perceberam isso tudo, mas agora vendo essa notícia percebi que eles estão mesmo planejando e seguindo o caminho do History ou seja esses canais de documentários mesmo como aprendemos a ver vão acabar, serão outra coisa, mas não acho que devem ser chamados de canais de docs...
A culpa como sempre é das pessoas que deram audiência a esses programas e agora como eu disse antes e como dizia o Abelardo Barbosa "na tv nada se cria, tudo se copia" e quando faz sucesso   então, a copia é feita rapidamente sem nenhum constrangimento.

A esperança que fica seriam os canais mais específicos ainda, tipo Discovery Science, mas o History também era para ser um desses e viram onde foi parar essa "historia".
Tirando os canais públicos tipo BBC, PBS e outros, acho que vai acabar não restando nada na TV PAGA que poderia ser chamado de um canal de documentário.

Vamos aproveitar esse nicho ae Fraga e criar um canal de TV mundial só de docs haha
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: luso123 em Sábado, 14 de Julho, 2012 - 03h11
novelas foi um termo de expressão.
Sinto esses problemas que a ibbins refere, mas, por exemplo não estou a ver a importância dos que vivem na miséria verem um programa tipo Top Shot ou outros parecidos.
No entanto, respeito quem vê qualquer tipo de programa que passe na televisão, seja paga ou não. 
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: WEBr em Sábado, 14 de Julho, 2012 - 15h37
É,o amigo soltou o verbo kkkk,infelizmente a busca pela maior audiência
sacrifica a qualidade,a temática e o conteúdo de grande parte do que se
vê hoje em dia na TV,e os documentários não estão fora dessa regra.
É uma pena,mas nem tudo está perdido,comparado ao processo mundial
de imbecilização da população via Tv com o retorno dos gladiadores na
arena se espancando e se agarrando no Coliseu moderno,até que esses
pseudo documentários são uma luz no fim do tunel hahaha.
[]s.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: bg_lx em Quinta, 18 de Outubro, 2012 - 18h34
Para mim o campeão é o acient aliens. No meu quintal encontrei uma moeda velha; Foram os aliens que lá a deixaram, claro !
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nihilista em Quinta, 18 de Outubro, 2012 - 19h09
A sociedade caminha para uma idiotização massiva...estamos condenados a sermos compulsoriamente idiotizados pela pressão da maioria burra e infantil que "entende" que tudo é válido , que tudo é eclético que tudo é  interessante. Sou contra a esta política " do mundo melhor" mas, infelizmente com o capitalismo dizendo que você tem de vender e vender significa agradar a uma grande maioria para continuar vendendo sempre e mais. De maneira geral no fim do mês as contas chegam e as emissoras teen de pagar suas dívidas e a saída para sanar isto é continuar sempre vendendo e venda não está relacionada a ter ou ser de qualidade, está relacionada ao querer o produto e geralmente as coisas mais fáceis de assimilar é que são mais bem recebidas. É triste mas é a nossa realidade. A sorte é ter espaços como estes aqui do fórum onde existem pessoas que ainda prezam por boas informações. Que o fórum tenha muitos anos de existência pois espaços como estes estão sumindo da net.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Sábado, 27 de Outubro, 2012 - 17h35
Já que todo mundo tava metendo o pau no History eu também claro, é bom falar quando de vez em quando eles fazem algo grande e parece que essa nova série Mankind: The Story of All of Us será muito boa, uma grande produção pelo que li demorou dois anos para ser produzida e vai ter uma estreia global, no Brasil pelo menos irá ser exibida no mesmo dia que nos EUA eu acho, são 6 episódios de 2 horas sobre a historia da humanidade.
http://www.history.com/shows/mankind-the-story-of-all-of-us/articles/about-mankind-the-story-of-all-of-us (http://www.history.com/shows/mankind-the-story-of-all-of-us/articles/about-mankind-the-story-of-all-of-us)

tease brasileiro HUMANIDADE a história de todos nôs
Código: [Selecionar]
http://link.brightcove.com/services/player/bcpid22879216001?bckey=AQ~~,AAAABUmiA5k~,95vBmKrdhBH2wlL6vk0i2_LWxxnVZxm-&bctid=1911653370001
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Domingo, 28 de Outubro, 2012 - 22h57
Já eu sou como São Tomé. Ver para crer. :tth:
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Quinta, 08 de Novembro, 2012 - 22h57
Já eu sou como São Tomé. Ver para crer. :tth:

haha eu também quero ver para descrê que é ruím, pois o History não tem crédito, mas deixo a sinopse

HISTORY estreia a série épica sobre o surgimento da civilização

Produção levou dois anos para ser concluída e traz depoimento dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Cesar Gaviria, entre outros expoentes de nossa era
Dos produtores de A Saga dos Estados Unidos, Humanidade: A História de Todos Nós, a nova série do HISTORY, é o relato épico do surgimento da civilização. Longe de ser apenas uma citação de nomes e datas, o programa se propõe a apresentar o perigo, a ação, as lutas, o heroísmo e a adrenalina envolvidos em diversas conquistas do Homem.

A série de 12 episódios de duas horas de duração cada, que estreia dia 14/11, quarta-feira, às 22h, parte do início da civilização na Mesopotâmia e segue até a descoberta da América, revelando os acontecimentos que levaram à formação do mundo moderno.

O projeto de Humanidade: A História de Todos levou dois anos para ser finalizado e é uma das produções mais completas já realizadas sobre o tema para a televisão. A equipe de produção passou por China, África do Sul e Marrocos em busca das origens da história do homem como ser social. Humanidade também recorre aos depoimentos de importantes figuras latino-americanas como Fernando Henrique Cardoso, o rabino e ativista social Sergio Alejandro Bergman, o filósofo Alejandro Rozitchner, o economista Carlos Melconian, o historiador Félipe Pigna, o escritor e jornalista brasileiro Eduardo Bueno, o primeiro astronauta brasileiro Marcos Ponte, Pelé, o matemático e filósofo Antanas Mockus, o ex-presidente colombiano César Gaviria, a escritora Guadalupe Loaeza e o cientista Enrique Ganem, entre outros, dão seu ponto de vista sobre o que representa ser parte daquilo que se entende por espécie humana.

Por meio da geologia, astronomia, meteorologia e física, a produção vasculha os eventos e invenções que datam milhões de anos. Entre os temas tratados estão a descoberta do fogo, a arte, a agricultura, a vestimenta, as pirâmides, a guerra, a domesticação de animais, a criação do bronze e do ferro, a democracia, a Bíblia, China, o alfabeto, o cristianismo, as ferrovias, as drogas, o plástico e os antibióticos.

Para dar início à jornada pelos períodos mais prolíficos dessa história, no dia 14/11, quarta-feira, às 22h, o HISTORY exibe a primeira parte do primeiro episódio, Inventores. No planeta Terra, uma espécie única dá seus primeiros passos – a Humanidade tem seu início. Contudo, num mundo cheio de perigo e ameaçado de extinção, o homem inova para sobreviver e descobre o fogo e a agricultura,construindo cidades e pirâmides, inventando o comércio e dominando a arte da guerra. De pequeno ser sujeito à ação de predadores, transforma-se em criatura dominante.

Homens de Ferro, segunda parte que vai ao ar em seguida, às 23h, traz um misterioso bando de piratas que rouba a costa Mediterrânea e deixa a destruição em seu caminho. Os Impérios caem, mas a partir do caos vem o advento do ferro. Armados com estemetal, pessoas comuns conseguem derrubar tiranos e construir a nova ordem mundial. Na Babilônia, o poder do povo remodela a Humanidade.

Sinopses dos próximos episódios:

Episódio 2

Impérios - Em Jerusalém, Jesus de Nazaré é crucificado. Sua morte inicia uma religião global. Mas o cristianismo nunca poderia ter nascido sem o Império Romano. Uma ampla rede de rotas marítimas permite que produtos e ideias viajem por três continentes. A mensagem de Jesus transforma a humanidade. Hoje, uma entre cada três pessoas no planeta são cristãs.

Guerreiros - Quando Roma é destruída pelos bárbaros, a Europa entra em um período obscuro. Duas províncias do antigo império se transformam em duas novas forças a resgatar o mundo. Os árabes, financiados pelo ouro, se unem pela bandeira do Islã. Os vikings renovam as cidades da Europa, viajam à América e se transformam em cavaleiros cristãos. O cenário está montado para um novo choque de civilizações, as Cruzadas.

Episódio 3

Praga - Genghis Khan, o guerreiro mais sanguinário da história, destrói o sul, desde a Mongólia até a China, e cria um império poderoso, deixando para trás 40 milhões de cadáveres. Mas um assassino maior assola a humanidade - a praga. Viajando pelas rotas comerciais mongóis, a doença causa estragos na Ásia, transformando-se no maior desastre biológico da história. No entanto, as Américas não são afetadas e prosperam.

Sobreviventes - O ouro da África dá impulso ao renascimento da Europa. O dinheiro flui em Veneza, criando novas oportunidades para empresários dispostos a assumir riscos. Na China, uma nova arma, a pistola, possibilita um levantamento camponês para unificar o país. As inovações chinesas inspiram a Europa, onde é criada a imprensa. Milhões de livros são impressos. Um deles inspira uma viagem ao Novo Mundo.

Episódio 4

O Novo Mundo - Os astecas construíram um império poderoso que domina a América Central, mas que acaba por ser destruído por causa de um efeito dominó. A sete mil milhas de distância, na atual Turquia, o grande centro comercial de Constantinopla é invadido por um exército islâmico. Os europeus se apressam para encontrar uma nova rota para o Oriente. Cristóvão Colombo chega à América e descobre ouro. Num período de 30 anos, os astecas são vencidos.

Tesouros - Nos Andes, os espanhóis encontram a maior mina de prata do mundo e descobrem as moedas que transformaram a economia global. Chegaram aos cofres do tesouro dos piratas e fomentaram o auge do mercado de valores. Eles ajudaram a pagar a construção do Taj Mahal. O rápido incremento comercial levou milhões de pessoas ao Novo Mundo como escravos. Mas um grupo de peregrinos tornou-se pioneiro na busca da liberdade.

Episódio 5

Pioneiros - Empreender a humanidade em uma nova era de exploração. Na América do Norte, Sibéria e Austrália, as antigas tradições desaparecem graças ao comércio e à ciência. Dentro de cem anos, o medo irracional que produziu a caçada às bruxas começa a se dissipar e o mundo começa a respirar liberdade. A batalha pelo mundo moderno começa.

As Revoluções - A Revolução Americana inspira sonhos de liberdade política e pessoal. A Revolução Industrial agita a força muscular com máquinas, liberando a humanidade dos limites da natureza. Mas a doença, um antigo inimigo, se expande em cidades industriais. Com a Guerra Civil Americana, as duas revoluções se enfrentam. A primeira guerra industrial é a batalha para definir a liberdade.

Episódio 6

Velocidade - O final da Guerra Civil permite à humanidade acelerar. Essa é a era da inovação, transformação e produção em massa. Todos creem que "qualquer coisa é possível". O Japão se transforma de sociedade feudal em superpotência industrial num período de 50 anos. Mas o progresso tem o outro lado. A demanda de borracha arruína a África. E o desejo de construir coisas maiores, mais rápidas e melhores, pode conduzir a um desastre descomunal.

Novas Fronteiras - A humanidade adquire poderes divinos: alimentar milhões de pessoas, remodelar a paisagem e mudar a engenharia do corpo humano. O maior poder de todos recai sobre Hiroshima, no dia 6 de agosto de 1945. Mas, ao mesmo tempo, nos conectamos como espécie. Há 100 mil anos, havia poucos de nós nas savanas africanas. Hoje, existem sete bilhões de pessoas em todo o mundo. Tem sido uma viagem surpreendente!
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Quinta, 30 de Maio, 2013 - 23h36
E a chegar-se a velocidade meteórica do topo da lista:
"America Unearthed", o novo mega-lixo-sucesso do Canal História.

Não sei como hei-de adjectivar isto, mas creio que ganharia uns prémios se estivesse na categoria de comédia. O problema é que o apresentador acredita mesmo no que diz...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: doro_boy em Sábado, 23 de Novembro, 2013 - 03h58
http://www.youtube.com/watch?v=G_6vzOBlmoY# (http://www.youtube.com/watch?v=G_6vzOBlmoY#)

Aliens Channel

(https://www.sortius-is-a-geek.com/wp-content/uploads/2013/10/history-channel-hd-aliens-thumb.jpg)
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: charlesleg em Sábado, 23 de Novembro, 2013 - 05h30
Hahaha :lol:, muito bom !

67 ''Alienígenas'' não gostaram :tth: !!
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: charlesleg em Sábado, 23 de Novembro, 2013 - 05h34
OBSERVAÇÃO !

History Channel não tem mais condições no Brasil, é um Doc bom por mês e olha lá !
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Sábado, 23 de Novembro, 2013 - 11h02
OBSERVAÇÃO !

History Channel não tem mais condições no Brasil, é um Doc bom por mês e olha lá !

Sinceramente, está tudo muito mal servido. Não rodo pela programação do HC há mais de 6 meses. O DC ainda passo dia ou outro para ver algum episódio "inédito para mim" de Ciência viva ou Feras da Engenharia. O NatGeo descola, de vez em quando, algum doc mais interessante na seção NatGeo Wild ou NatGeo Hits, mas normalmente são docs de curta duração. Não entendo por que essa mania do NatGeo de transmitir docs "nacionais". Não tenho nada contra a iniciativa mas, o que é aquilo? Parece que é feito "às coxas"...

Já que é para falar de tudo, vamos virar logo a caçamba...A TV Cultura tem aquela seção muito boa de docs, mas normalmente só passa de madrugada, ou seja, só para quem grava... A TV Escola sempre passa coisa interessante, mas ultimamente tem estado com a programação muito repetitiva e a maioria dos programas tem duração muito curta - alguns de até 5 minutos, 20 minutos.

E quanto ao Civilization, Science? Tudo bem, sei que os canais, por não estarem totalmente integrados no setor brasileiro, têm muitos programas em inglês mesmo. Mas e quanto aos legendados? Minha nossa... A legenda atrasa feio, traduz errado e, para coroar o bolo, mais de metade das falas que vi está sem legenda...

Ow zica em que estamos...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: ibbins em Sábado, 04 de Outubro, 2014 - 16h42
Para reavivar, deixo a programação de hoje do History Channel. Muito edificante! Ohh!   :rofl:

(https://imageshack.com/a/img674/3546/eYaWra.jpg)
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Sábado, 04 de Outubro, 2014 - 17h09
para o padrão do History a grade de hoje ta melhor, tem HOUDINI, geralmente tem trato feito
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Sábado, 04 de Outubro, 2014 - 17h11
Hahahahahaha!

Passe pelo Discovery Channel hoje pra você ver uma tremenda programação! Mais parece o Discovery Turbo misturado com aquele seriado Plantão 24 horas...
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: HBM em Sábado, 04 de Outubro, 2014 - 18h38
Ótimos Documentários. Trato Feito pra mim é excelente, aprendo muito assistindo o Programa, Caçadores de Relíquias falo a mesma coisa. E Muitos Outros, você pode não gostar da história por cada material, mas aposto que tem milhares de pessoas que adoram programas deste Tipo. E Sim, são Documentários. Aprende-se muito mais vendo programas assim que muitos "documentários" por aí que se dizem ser. :good:
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: WEBr em Segunda, 06 de Outubro, 2014 - 14h02
No Brasil, há um ditado que diz : "cada cabeça, uma sentença", quer dizer...cada um responde por si.
Em relação à documentários que são exibidos em TV aberta, ou mais profusamente no cabo, são das TVs comerciais à cabo.
No mundo, quem domina as produções desses canais de comunicação pagos, são os americanos. Eu não confundo coisas "factuais" e "cultura inútil", com trabalhos bem elaborados e principalmente consistentes com a lógica e registros históricos de fatos, com "achismos" e dilúvio do fantasias que agradam o mundo das pessoas carentes de objetivo válido,... e dispostas à sedução do que é "facil"
Enfim : Americanismo midiático sensacionalista, distração noturna, e detalhamento da inutilidade cultural,.... não é minha praia.

[]s.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Domingo, 12 de Julho, 2015 - 17h36
Esta eu tinha de partilhar. :lol:

(https://imageshack.com/a/img673/6530/COrESH.jpg)
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Domingo, 12 de Julho, 2015 - 17h48
Hahahahaha, dessa eu não me recupero.
 :rofl: :rofl: :rofl:
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: ibbins em Domingo, 12 de Julho, 2015 - 19h04
Sempre dá para nos divertirmos um bocado!  :lol3:
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: charlesleg em Domingo, 12 de Julho, 2015 - 20h49
HAHAHA, MUITO BOM, REALIDADE PURA !
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Segunda, 11 de Janeiro, 2016 - 23h46
Um texto que me parece enquadrar-se na perfeição neste tópico.

Por António Santos.



Resposta às perguntas do Canal de História
segunda-feira, 15 de junho de 2015


(https://imagizer.imageshack.com/img907/5779/ciGKUO.jpg)
«Será isto uma prova da existência de uma raça pré-histórica de gigantes?» corte para animação em 3d «E terão esses gigantes construído... as pirâmides do Egipto?!» imagens de arquivo de pirâmide sob efeitos de pós-produção de filme barato de terror «E será que os lendários gigantes não eram seres humanos deformados, mas extra-terrestres vindos do espaço?» sequência rápida de fotografias de obras de arte antiga, de várias civilizações...

Tantas perguntas, tão poucas respostas, diria Brecht. Acabo de assistir a isto no National Geographic Channel. Podia ser só má televisão, mas é muito mais do isso, é a liberdade de fazer as mais absurdas e perigosas perguntas, a despeito de milhares de anos de respostas dadas, pensadas e trabalhadas, intoxicando as futuras gerações com fumos digitais da formidável nova idade das trevas.

Os canais de televisão estado-unidenses que antes passavam documentários, hoje passam reality shows. Onde antes se podia ouvir historiadores, agora apre(e)nde-se sobre camiões, armas e outras curiosidades. Alguns exemplos revestem-se de óbvia transcendência cultural, dizendo mais sobre a sociedade em que vivemos, que volumes de sociologia: apenas sobre prisões, temos, actualmente, a liberdade de escolher entre «Mulheres atrás das grades», «Presos no estrangeiro», «Prisões americanas», «Fugas da prisão», «Prisões de alta segurança» e «Prisões: bastidores». Mas, ponto de ordem à mesa, se eventualmente parecer trocista esta singela ideia, de ter a liberdade de escolher o programa sobre prisões, desenganemo-nos... que os tipos que mandam nisto têm mais inteligência que sentido de humor.

Afinal que sociedade livre é esta, que vive obcecada por estar presa? Entretanto, nestes mesmos canais, são zero os programas sobre literatura. É que dá-se que o formato do reality show evadiu-se, já há mais de uma década, dos matadouros de inteligência onde eram guardados, assaltando de supetão toda a televisão e a internet das massas. E como as consequências desta transformação vão muito além do óbvio, debrucemo-nos sobre alguns exemplos vívidos. O reality show não se compadece de método, nem estudos nem tampouco pode aguardar por conclusões científicas: exige permanentemente mais acção e novas descobertas, sempre e agora. Em virtude desta pressa, os programas sobre a vida selvagem que antigamente nos mostravam o resultado, longamente arquitectado de semanas de estudo e trabalho de campo, reclamam agora uma violação, violenta e imprevisível, da ordem das coisas: onde estava o documentário onde se observava a vida de uma serpente, insuspeita da presença das câmaras, agora assiste-se (sim, assiste-se) a um marialva que perturba a serpente no seu habitat natural, forçando-a a engoli-lo vivo, num fato especial produzido para o efeito, para gáudio ou náusea do público. A ciência dá lugar à aventura e o cientista cede passagem ao explorador, normalmente um labrego simpático com indisfarçáveis matizes jingoistas.

O reality show, por outro lado, não tem quaisquer pretensões históricas ou científicas, embora fale de história e de ciência. É apenas entretenimento, esgrime num sorriso amarelo. E isso dá-lhe o direito de mentir, deturpar, confundir e alienar-nos a todos. Vejamos outro exemplo: quem experimentar, a qualquer hora do dia, passar a correr entre o National Geographic, o Canal de História ou o Discovery Channel, entre outros possíveis, encontrará certamente pelo menos um programa sobre compras e vendas. Num, compram-se antiguidades que são, depois, vendidas em segunda mão, noutro, seguimos o quotidiano de uma família que opera uma loja de penhores, noutro ainda, acompanhamos o trabalho das pessoas que compram armazéns repletos de coisas perdidas ou abandonadas. À superfície, pode parecer que isto terá pouco de ideológico, para além do claro endeusamento do dinheiro e do insinuado fetiche com o comércio, mas, novamente, é muito mais do que isso. É que, surpresa das surpresas, os protagonistas destes reality shows comentam as coisas que compram e vendem, dão apontamentos históricos, tecem comentários políticos e procuram resumir tudo, de Darwin à revolução francesa passando pela URSS, em burlescas aulas de quatro a dez segundos.

À medida que o capitalismo retira ao ensino público todas as faculdades democráticas e culturais dispensáveis à produção, são, progressivamente, estes veículos os principais formadores ideológicos, filosóficos e históricos das massas. Que defesas tem um adolescente que, ligando o CANAL DE HISTÓRIA, escute um «autor» a dizer-lhe que Hitler teve contacto com extra-terrestres? Que contraditório tem o documentário que explica que o holocausto aconteceu por uma qualquer mania, crença ou desgosto pessoal de Hitler? Que televisão protege a História que o Canal de História destrói?

E desiludam-se os que acham que este efeito «dica da semana» só se debruça politicamente sobre a História recente. Voltemos ao exemplo anterior: o National Geographic dá palco a dois «investigadores» dos EUA, por sinal de origem portuguesa, que «investigam», sempre num registo «em directo», a possibilidade de uma fabulosa raça de gigantes ter construído algumas estruturas em pedra com muitas centenas de anos. A premissa é simples (e semelhante à das pirâmides terem sido construídas por extra-terrestres): os povos não-europeus e não-brancos nunca poderiam ter construído semelhante coisa, não tinham os conhecimentos nem a inteligência que, nesse tempo, só os brancos europeus detinham. E assim, a partir da falsificação de História tão longínqua quanto o Antigo Egipto, reforça-se e legitima-se o poder da classe dominante.

Reality shows sobre prospectores de ouro, pescadores de atum e motoristas de pesados, documentários sobre extra-terrestres, nazis em bases lunares e monstros mitológicos escondidos nos esgotos: é este o conhecimento que o capitalismo quer para as massas; é com esta História que os donos dos meios de produção nos querem esmaecer; é nesta nova era medieval que nos querem cegar. Destruir o capitalismo, até à sua última estrutura, não é apenas o interesse dos trabalhadores de todos os países, é o interesse vital do nosso milenar património de ciência conhecimento e da própria inteligência humana.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: ibbins em Terça, 12 de Janeiro, 2016 - 04h17
Dito e escrito com perfeição! Ainda bem que lutamos para manter um mínimo de inteligência viva no planeta!  ;)
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Terça, 12 de Janeiro, 2016 - 06h46
Com tudo circulando na internet e novas redes e formatos gratuitos ou pagos como a Netflix, tem espaço para todos os tipos de conteúdo, e cada pessoa assiste o que quiser...
Eu não quero destruí nada, e nem tenho capacidade para discuti isso, mas sei que no capitalismo a demanda é importante, de qualquer forma, esse tema me lembra desse filme que recomendo a todos que assistam, tem legenda

Código: [Selecionar]
https://www.youtube.com/watch?v=V-F7O4OXxQs



Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Terça, 12 de Janeiro, 2016 - 17h49
Obviamente que toda a gente vê o que quiser e quando quiser, mas não é isso que está em questão, nagol.

O que está em questão é o facto de canais que se dizem de documentários passarem tudo menos documentários.
É o mesmo que ir a uma igreja católica para uma missa e encontrar um concerto de heavy metal.

Pior, esses pseudo-canais de documentários exibem programas que retiram o espaço aos programas de qualidade (leia-se: educativos, formativos e científicos) para encher as grelhas de programação com programas de entretenimento, ação, ficção e reality shows.
Não está em causa a liberdade de cada um e a liberdade de expressão, está em causa a forma como é feita, com o único intuito de lucrar à custa de uma pseudosseriedade dos seus conteúdos e a reboque da palavra "documentário".
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Terça, 12 de Janeiro, 2016 - 18h11
Eu entendo, mas acho realmente que esses canais já perderam a importância, com a internet muda tudo, não ha grade ou limite de espaço, os conteúdos educativos ou docs podem ser produzidos e distribuídos, o financiamento pode vim diretamente das pessoas, sites pagos ou instituições pública, sem falar que de um jeito ou de outro as coisas acabam de graça na web.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: FragaCampos em Terça, 12 de Janeiro, 2016 - 21h31
Aconselho-te a veres a página do Facebook do Canal História em Portugal. São dezenas e dezenas de reclamações de pessoas que consideram que o canal as engana, pois vende um produto diferente daquele que publicita.
Nem toda a gente tem possibilidade de andar na Internet em busca de documentários. Ou porque não tem tempo, ou porque não sabe.
Há muita gente que não quer ver novelas, futebol ou canais de notícias que falam sempre do mesmo. Procuram cultura e entretenimento, e, uma boa parte delas, procura isso nos documentários.
Quem chega a casa após um dia inteiro de trabalho e quer ver algum documentário de História, senta-se no sofá, depois de jantar e de deitar os filhos na cama, para assistir ao Canal História. Quando os filhos chegam da escola, muitos pais põem-nos a ver documentários no Canal História. O problema é que o Canal História não passa documentários de História. Passa ficção mascarada de realidade, mentiras ereality shows e é isto que a grande maioria das pessoas vê.
Hoje em dia, a Internet está muito fraturada, com o público alvo muito disperso, meios de acesso muito selectivos  e com informação que flui sem que as pessoas saibam muito bem no que confiar e/ou acreditar. Quando esses programas ocupam o espaço que deveria estar reservado a documentários "a sério", estão a transmitir uma imagem falsa do que é um documentário e a defraudar as expectativas de quem procura algo com o mínimo de reputação para ser credível.
E isto causa danos. Podem parecer insignificantes, mas com o tempo, vão-se acumulando e criando uma imagem deturpada da realidade.
Imaginemos por um segundo que não existia BBC ou PBS. O mundo seria certamente muito diferente...

Depois, há os documentários tradicionais, aqueles que praticamente só aparecem nos festivais de cinema e dos quais nunca ninguém ouve falar. São produzidas centenas de obras documentais que são um retrato e um mosaico do mundo e da Humanidade atuais e que não obtêm exposição porque simplesmente não têm plataformas que as façam chegar ao público. Claro que há excepções criadas por campanhas de sucesso na Internet ou que envolvem nomes famosos, mas essa é uma minoria que não pode ser tida como regra. No entanto, sei por experiência própria que as pessoas estão ávidas de bons documentários, de descobrir algo inédito, de conhecer melhor algo sobre o qual tinham uma ideia errónea ou incompleta, de estimularem o sentido crítico, a imaginação e o conhecimento sobre si e o mundo que as rodeia.

Sei que o mercado acabará por se reajustar e inclinar para onde a procura e a pressão do público for maior, mas quando uma criança ou adolescente cresce a ver programas de extraterrestres vs Hitler, lojas de penhores e episódios repletos de sangue e violência sobre o reino animal, deuses mitológicos que arrancam cabeças e cospem fogo, monstros do rio, apocalipses disto e daquilo... pergunto-me o que seria de mim se não tivesse crescido a ver Jacques Cousteau, José Hermano Saraiva, Carl Sagan, David Attenborough, Stephen Hawking, Noam Chomsky entre muitos outros.
O Netflix veio agitar o mercado com a promessa de novas oportunidade e de maior palco para o género documental. No entanto, deixo a discussão sobre o impacto que irá ter sobre a realização e produção de documentários para uma outra oportunidade.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: nagol em Quarta, 13 de Janeiro, 2016 - 01h09
Eu concordo com parte da tua análise, claro, mas o History é um belo exemplo, a muito tempo ele não é um canal sobre história, e qualquer pessoa que acompanha pode perceber isso, o único erro é continuar com o mesmo nome, mas dizer que por isso as pessoas são enganadas hoje em dia, é muita ingenuidade dessas pessoas, reclamar é um direito, afinal eles pagam, mas acho que são minoria e se não são, parecem ser, de qualquer forma a operadora é que decide quais canais inclui e decide baseado nas pesquisas deles ou no que da mais retorno, pois é um negocio privado, deveriam reclamar mais com ela.
Mas, a Netflix é só um exemplo, um tipo novo de TV paga que se foca em cada segmento sem ter que escolher entre uma coisa ou outra, no Brasil temos um exemplo que você conhece e é mais focado ainda, não teria espaço na TV, mas na internet tem e eu espero que as pessoas que pagam por conteúdo valorizem seu dinheiro e busquem quem oferece o que ela busca e sei que ainda não é ideal, mas é o futuro e ele já começou, não tem volta. Eu mesmo pago por dezenas de canais que nunca assisto no meu "pacote", é uma burrice, ainda bem que a tecnologia evolui.

Eu ainda gosto da ideia de canais mantidos por doações ou imposto, mas que só produza apenas documentários educativos imparciais.

Esse é o melhor momento da história para os documentários, desde que o público valorize eles, desde que exista essa demanda que citou, os meios para distribuição na internet ou odemand não vão faltar.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: Vasco_da_Gama em Quarta, 13 de Janeiro, 2016 - 02h45
Reality shows sobre prospectores de ouro


por acaso gosto, e assisto sempre que posso

já comprei várias cenas e tenho um mapa do tesouro comigo
não vou revelar pormenores por razões óbvias



pessoal, este tipo de cenas...mesmo os gajos que procuram diamantes nas serras ou mesmo cogumelos ...para mim, não deixa de ser um mundo novo, nunca tinha visto algo semelhamente
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: tuelo em Quarta, 13 de Janeiro, 2016 - 20h46
aprecio a opinião de muitos e respeito o ponto de vista de todos mas rotular algo de ruim ou perigoso toma conotação religiosa.
Título: Re: Lixo nos canais de "documentários"
Enviado por: VitDoc em Domingo, 22 de Agosto, 2021 - 20h32
Vivi para ver um monte de gente defendendo "Trato Feito" e "Largados e pelados". Mais do que isso, ser criticado por criticá-los.

Não à toa, temos toda uma geração de idiotas bastante satisfeitos com entretenimento para idiotas.

aprecio a opinião de muitos e respeito o ponto de vista de todos mas rotular algo de ruim ou perigoso toma conotação religiosa.

Só há religião se você a trouxer para o meio. Qualidade, de fato, é um conceito relativo, mas é uma percepção individual. Conhecimento não se relativiza: ou é real e ensina ou é falso e desinforma - simples assim.