Autor Tópico: Philosophy: A Guide to Happiness (2000)  (Lido 2024 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

zegabriel

  • Releaser
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 04 Ago, 2009
  • Membro: 7209
  • Mensagens: 870
  • Tópicos: 313

  • : 0
  • : 0

Philosophy: A Guide to Happiness (2000)
« em: Terça, 05 de Junho, 2012 - 22h02 »
Filosofia: Um Guia Para A Felicidade
Filosofia



Site Oficial | Alain de Botton

[imdb]

Citação
Elaborado pelo escritor e produtor de televisão inglês Alain de Botton, o documentário, Filosofia: Um guia para a felicidade, consiste na apresentação e divulgação de ideias dos grandes filósofos ocidentais para um público leigo. A ideia geral do documentário é simplesmente mostrar como a filosofia pode servir de base para que as pessoas passem a questionar certos valores sociais rigidamente estabelecidos e, assim, serem capazes de suportar melhor as agruras do dia-a-dia das quais todos estamos sujeitos. Botton então apresenta parte da história de vida, de um filósofo diferente em cada episódio, ressaltando a ideia que deseja apresentar. Por vezes, ele também apresenta casos de indivíduos "normais" (ingleses) cuja vida foi ou pode vir a ser afetada diretamente por tais ideias.

Filosofia: Um Guia Para A Felicidade - Sócrates e a autoconfiança (2000)

http://www.youtube.com/watch?v=P3qtsYmJpU0#

Citação
"Sócrates e a autoconfiança", é a trajetória de vida do filósofo e cidadão ateniense Sócrates, que nos traz um exemplo de coragem de um homem que não temeu as consequências de pensar por si próprio. Por que temos um impulso de seguir passivamente os semelhantes, sem nos afastar do grupo? Se somos seres humanos, por que muitas vezes agimos como um rebanho de ovelhas? Sócrates dedicou-se à reflexão sobre essas questões que relacionam a vida prática e a busca do conhecimento. Baseava-se na máxima de que temos, como seres humanos, o dever de desenvolver ideias nas quais realmente acreditamos, ao invés de seguir opiniões alheias passivamente. Para ele "a vida sem reflexão não valia a pena ser vivida" e por isso sua história e sua filosofia são um convite ao não conformismo inteligente.

O filósofo Sócrates discordou da máxima de que a maioria tem sempre razão e provou, com sua vida, que somos todos capazes de realizar a transição de ovelhas para seres pensantes, ousando pensar por nós mesmos. É interessante observar a trajetória de alguém que defendeu suas ideias e ideais acima de tudo. Isso pode nos fazer pensar na coerência entre nossas ações e aquilo em que acreditamos, que prezamos e perceber que a autoconfiança ajuda a constituir a própria identidade de cada pessoa.

Filosofia: Um Guia Para A Felicidade - Epicuro e a Felicidade (2000)

http://www.youtube.com/watch?v=MrpZ23ldz_A#

Citação
Em um mundo cercado de publicidades e discursos que associam felicidade e realização à posse e ao desejo de possuir coisas, é difícil imaginar outra forma de ser feliz. O documentário questiona esse estilo de vida a partir da filosofia de Epicuro - que há milhares de anos já identificara o mesmo comportamento no povo grego. O trabalho interdisciplinar parte da análise do discurso publicitário para estudar mecanismos cognitivos que favorecem o desejo e, por fim, sugere a discussão do comportamento dos alunos a partir da criação de peças publicitárias de caráter epicuristas.

Epicurismo:
Sistema filosófico ensinado por Epicuro de Samos, filósofo ateniense do século IV a.C., e seguído depois por outros filósofos, chamados epicuristas.

Epicuro acreditava que o maior bem era a procura de prazeres moderados de forma a atingir um estado de tranquilidade (ataraxia) e de libertação do medo, assim como a ausência de sofrimento corporal (aponia) através do conhecimento do funcionamento do mundo e da limitação dos desejos. A combinação desses dois estados constituiria a felicidade na sua forma mais elevada. Embora o epicurismo seja doutrina muitas vezes confundida com o hedonismo (já que declara o prazer como o único valor intrínseco), a sua concepção da ausência de dor como o maior prazer e a sua apologia da vida simples tornam-no diferente do que vulgarmente se chama "hedonismo".

A finalidade da filosofia de Epicuro não era teórica, mas sim bastante prática. Buscava sobretudo encontrar o sossego necessário para uma vida feliz e aprazível, na qual os temores perante o destino, os deuses ou a morte estavam definitivamente eliminados. Para isso fundamentava-se em uma teoria do conhecimento empirista, em uma física atomista e na ética.

No mundo mediterrânico antigo, a filosofia epicurista conquistou grande número de seguidores. Foi uma escola de pensamento muito proeminente por um período de sete séculos depois da morte do fundador. Posteriormente, quase relegou-se ao esquecimento devido ao início da Idade Média, período em que se perderam a maioria dos escritos deste filósofo grego.

A ideia que Epicuro tinha era a de que, para ser feliz, o homem necessitava de três coisas: liberdade, amizade e tempo para filosofar. Na Grécia Antiga, existia uma cidade na qual, em todas as paredes do mercado, se havia escrito toda a filosofia da felicidade de Epicuro, procurando conscientizar as pessoas que, comprar e possuir bens materiais, não as tornaria mais felizes, como elas acreditavam

Filosofia: Um Guia Para A Felicidade - Sêneca e a Raiva (2000)

http://www.youtube.com/watch?v=zCjt8E3pcJk#

Citação
Para o filósofo romano Sêneca, ficaríamos mais tranquilos e preparados para a vida se fôssemos mais pessimistas, aceitando o mundo como ele é (com suas dificuldades inevitáveis), e não como gostaríamos que ele fosse.

Para Sêneca, a ira e as frustrações ocorrem porque criamos uma expectativa de uma vida quase perfeita e nos surpreendemos tendo essas reações irracionais aos revezes. Porém, as dificuldades e fracassos são inerentes à própria vida. Para o filósofo romano antigo, se não podemos mudar as coisas, podemos mudar a nossa atitude diante dos problemas que são inevitáveis.

Filosofia: Um Guia Para A Felicidade - Montaigne e a Autoestima (2000)

http://www.youtube.com/watch?v=ME4GsOhoBvI#

Citação
O filósofo francês da Modernidade diagnostica as causas de nossa insegurança e baixa auto-estima, fala da relação que o ser humano tem com o corpo e a mente e da proximidade entre seres humanos e animais.

Para o francês Michel de Montaigne, a origem da nossa insegurança e baixa auto-estima está na tendência de dividirmos o mundo entre normal e anormal. Não percebemos que o que há são diferenças! Esse padrão criado é uma idealização a qual ninguém corresponde. Na prática da vida, somos lembrados justamente pelas características que nos diferenciam: alguma cicatriz ou pinta, a cor dos olhos, da pele, dos cabelos, uns mais baixos, outros mais altos, há os que usam óculos ou aparelhos dentários, os carecas... Essa intolerância à diferença não nos faz ser receptivos nem a nós mesmos e quanto mais aos outros!

Filosofia: Um Guia Para A Felicidade - Schopenhauer e o Amor (2000)

http://www.youtube.com/watch?v=RS7jR5cQXMw#

Citação
Para o filósofo alemão Artur Schopenhauer, os relacionamentos amorosos seguem uma lógica própria, que em nada tem a ver com a busca da felicidade, mas sim com a biologia. Ele dizia que "nada no mundo é mais importante que o amor, porque o que está em jogo é a sobrevivência de nossa espécie". Como assim?! Desde o momento em que se sai de casa procurando um par, até o fim da relação de um casal, o objetivo entre eles é apenas procriar?! Então, por que nos sentimos atraídos por algumas pessoas e não por outras? Essas e outras questões, e as respostas de Schopenhauer a elas, são apresentadas neste episódio da série "Filosofia: um guia para a felicidade".

Para Schopenhauer, não somos românticos, mas sim escravos de um impulso inconsciente de perpetuar a espécie, que ele não chama de amor, mas de vontade de viver. A intenção do filósofo era nos libertar das expectativas nos relacionamentos que levam ao sofrimento: o fim do amor é uma questão biológica e não emocional. O erro está em associarmos o amor à felicidade. Não podemos evitar de nos apaixonar, afinal a biologia é mais forte que a razão; porém, com esse objetivo, muitas vezes nos atraímos pelo nosso oposto. Isso ocorre porque o que rege a atração, segundo ele, não é o racional, mas a busca do parceiro ideal para a procriação - não importa a convivência. Shopenhauer, assim, nos aproxima dos animais, ressaltando os instintos e a animalidade que há em nós e que foi desvalorizada, ao longo da história da filosofia.

Filosofia: Um Guia Para A Felicidade - Nietszche e o Sofrimento (2000)

http://www.youtube.com/watch?v=GoBX0LpqzXI#

Citação
O documentário apresenta aspectos do pensamento do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, que viveu na segunda metade do século XIX, e que tinha uma proposta ousada de pensar no sofrimento, nas dificuldades, na dureza da vida de forma positiva e até mesmo alegre. Ele dizia: "Às pessoas de quem gosto desejo sofrimento, doenças, dificuldades, indignidade, desprezo, desconfiança e a infelicidade dos conquistados", isso porque para ele "a felicidade e a infelicidade eram irmãs gêmeas e cresciam juntas". Ou seja, para realizar grandes feitos é indispensável aprender a lidar com as dificuldades, os desafios, o erro, o fracasso -- aspectos inerentes à própria vida. A obra mostra que, para Nietzsche, é no risco e no desafio que está a beleza da vida, tal como a sensação de bem-estar que sentimos no cume da montanha, após tê-la subido exaustivamente, passo a passo.

É muito interessante quando o vídeo mostra profissões que idolatramos e até idealizamos, pelas quais a pessoa tem que sofrer, tem que se superar para conquistar a meta desejada: o astronauta, a bailarina, o músico, o trapezista são alguns exemplos. Procure relacionar os desafios exibidos no vídeo (como, por exemplo, escalar uma montanha) com os momentos em que somos testados na vida: apresentações em público, concursos, competições esportivas são momentos em que observamos dedicação máxima e muita pressão. Para Nietzsche, é justamente isso que faz o ser humano aprender a reagir bem ao sofrimento e usar isso para produzir o belo, além de dar um gosto maior na hora das conquistas.

Palestra do Alain de Botton no TED

Alain de Botton: Uma filosofia de sucesso mais bondosa e delicada

http://www.youtube.com/watch?v=apHre_QB1mE#

Citação
Alain de Botton analisa as nossas ideias de sucesso e fracasso, e questiona os pressupostos subjacentes a estes dois julgamentos. Será que o sucesso é sempre conquistado? E o fracasso? Alain de Botton defende de forma eloquente e espirituosa, a ideia de que devemos ultrapassar pretensiosismos para encontrarmos verdadeiro prazer no nosso trabalho.

''O que é um esnobe? um esnobe é alguém que usa uma paquena parte de vocês para determinar de forma completa o que vocês são'' Alain de Botton

"Mais crimes são cometidos em nome da obediência do que da desobediência. O perigo real são as pessoas que obedecem cegamente qualquer autoridade" (Banksy)

zegabriel

  • Releaser
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 04 Ago, 2009
  • Membro: 7209
  • Mensagens: 870
  • Tópicos: 313

  • : 0
  • : 0

Re: Philosophy: A Guide to Happiness (2000)
« Resposta #1 em: Terça, 05 de Junho, 2012 - 22h02 »
Documentário Aqui
"Mais crimes são cometidos em nome da obediência do que da desobediência. O perigo real são as pessoas que obedecem cegamente qualquer autoridade" (Banksy)

Etiquetas: Filosofia Alain de Botton