Autor Tópico: Debate Folha Suicídio (2013)  (Lido 1061 vezes)

0 Membros e 1 visitante estão a ver este tópico.

pp1058

  • br

  • Registo: 23 Jun, 2011
  • Membro: 22299
  • Mensagens: 475
  • Tópicos: 236

  • : 0
  • : 0

Debate Folha Suicídio (2013)
« em: Domingo, 10 de Novembro, 2013 - 00h21 »
Debate Folha Suicídio



[imdb]

Citar
Você está bem? Precisa de algo? O título de Cláudia Collucci reflete a sensação que a jornalista ficou depois do debate promovido pela Folha no dia 11 de junho. “Fiquei impressionada como medidas aparentemente simples podem fazer uma enorme diferença”, escreveu em sua coluna do dia 25 de junho.

O jornal já havia divulgado dados alarmantes: o suicídio mata 26 brasileiros por dia e, nos últimos 25 anos, a taxa de suicídio aumentou 30% entre adolescentes e jovens.

Por isso, no dia 11, o debate entre o psiquiatra José Manoel Bertolote, a psicóloga e colunista da Folha, Rosely Sayão, e Robert Gellert Paris Junior, membro do Conselho Curador do Centro de Valorização da Vida, trouxe à tona uma ideia geral:

“É possível prevenir o suicídio e um dos caminhos é abrir canais para que as pessoas falem sobre o desejo de morte.”




"O que nós queremos, o que não gostamos, o que pensamos, o que sentimos: tudo é impermanente. As palavras de elogios ou críticas são impermanentes. Todas vêm e vão. Se entendermos isso, não vamos ficar tão desorientados com os dramas da vida cotidiana."
Chagdud Tulku Rinpoche

pp1058

  • br

  • Registo: 23 Jun, 2011
  • Membro: 22299
  • Mensagens: 475
  • Tópicos: 236

  • : 0
  • : 0

Re: Debate Folha Suicídio (2013)
« Resposta #1 em: Domingo, 10 de Novembro, 2013 - 00h27 »
"O que nós queremos, o que não gostamos, o que pensamos, o que sentimos: tudo é impermanente. As palavras de elogios ou críticas são impermanentes. Todas vêm e vão. Se entendermos isso, não vamos ficar tão desorientados com os dramas da vida cotidiana."
Chagdud Tulku Rinpoche