Autor Tópico: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?  (Lido 1951 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Vasco_da_Gama

  • Releaser
  • Uploader
  • Postador de Legendas
  • Arquivista
  • pt

  • Registo: 12 Dez, 2009
  • Membro: 9955
  • Mensagens: 4 358
  • Tópicos: 2 297

  • : 0
  • : 219

Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« em: Domingo, 14 de Julho, 2019 - 21h59 »
Vem aí um novo Acordo Ortográfico?

Relatório final do grupo de trabalho para avaliação do impacto da aplicação do Acordo Ortográfico será discutido e votado na próxima quarta-feira. Em cima da mesa pode estar a negociação de um novo Acordo.
Em 14 Julho, 2019

Dez anos depois de ter sido aprovado, o Acordo Ortográfico (AO) deverá agora ser alterado. A recomendação consta do relatório final do grupo de trabalho para avaliação do impacto da aplicação do AO de 1990, que vai ser discutido e votado esta quarta-feira na Comissão Parlamentar de Cultura.

No documento, citado pelo Expresso, os deputados recomendam uma nova ronda de negociações entre os Estados-membros com assento na CPLP para discutir “a possibilidade e o interesse de se dar início a um processo de alteração ou aperfeiçoamento do atual AO ou à negociação de um novo Acordo”.

Os deputados consideram que a aplicação do AO está longe de ser uma realidade, sublinhando que, após décadas sobre a sua assinatura, continua a não existir um vocabulário comum na Língua Portuguesa. No mesmo documento, os parlamentares criticam o facto de apenas quatro países de entre os oito subscritores do AO terem procedido ao depósito dos respetivos instrumentos de ratificação.

Recorde-se que o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 é um tratado internacional firmado em 1990 com o objetivo de criar uma ortografia unificada para o português, a ser usada por todos os países de língua oficial portuguesa. Foi assinado por representantes oficiais de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

O teor substantivo e o valor jurídico do tratado não suscitaram consenso entre linguistas, filólogos, académicos, jornalistas, escritores, tradutores e personalidades dos setores artístico, universitário, político e empresarial das sociedades dos vários países de língua portuguesa. Na verdade, a sua aplicação tem motivado discordância por motivos técnicos, havendo quem aponte lacunas, erros e ambiguidades no texto do Acordo.

Também tem havido contestação ao Acordo com fundamentos políticos, económicos e jurídicos, havendo mesmo quem tenha afirmado, em Portugal, a inconstitucionalidade do tratado. Outros ainda afirmaram que o Acordo Ortográfico serve, acima de tudo, a interesses geopolíticos e económicos do Brasil.


In sapo.pt


Haverá sobre o Acordo Ortográfico uma clara posição parlamentar? Ou para lamentar?


Um acordo é um acordo: faz-se, se é útil; desfaz-se, se é inútil. O que sair sexta-feira do Parlamento deve, pois, ser claro. Só que isso implica coragem. Haverá?

No sábado, o Expresso noticiou, e outros jornais disso fizeram eco, que o relatório final do Grupo de Trabalho para a Avaliação do Impacto da Aplicação do Acordo Ortográfico (só o nome, pela sua extensão, espelha bem o pesadelo que rodeia a coisa) aponta para “novas negociações”. E alinhava, de forma sintética, o que estaria na base da tal recomendação. Ora a notícia baseou-se no documento que, elaborado (naturalmente) pelo coordenador e relator desse grupo, o deputado José Carlos Barros (PSD), circulava já pelos partidos e, portanto, começava a ser público. Problema? O do costume. Apesar de este grupo de trabalho já existir desde 20 de Janeiro de 2017, cessando funções nesta legislatura, parece muito difícil chegar a consenso sobre tão magno tema. O relatório, nas suas dezenas de páginas, enumera os muitos contactos e depoimentos prestados, a favor e contra o AO. Aí, mostra-se descritivo, como deveria ser. Porém, no final, ousa: tem conclusões e recomendações. E isso é sinal de que trabalhou bem; ouviu, analisou e sugeriu. Não é para isso que serve um grupo de trabalho?

Nem todos pensarão o mesmo. O PS, na reunião da Comissão de Cultura desta quarta-feira, exerceu o seu direito potestativo para adiar a discussão. Que vai realizar-se esta sexta-feira, de manhã cedo, talvez para que os deputados meditem bem durante o sono da véspera. Ao fim de quase dois anos de trabalhos e consultas, foi preciso ainda empurrar o assunto para um quase “abismo”. Porque dia 19 é o último dia de trabalho no Parlamento. Depois, férias e eleições.

O que concluía, então, o relatório, que tanta ponderação exige? Primeiro, que “a aplicação do Acordo Ortográfico, bem como a concretização dos objectivos que se propunha atingir, continuam longe de ser uma realidade do ponto de vista político e social.” Alguém duvida? Depois, que “o tom da discussão entre opositores e defensores do Acordo continua aceso, com posições, em regra, extremadas e argumentos, de um e outro lado, inconciliáveis.” Óbvio e incontestável. Depois, alinhando pacientemente os argumentos pró e contra o AO (retirados dos depoimentos, que cita), a vários níveis, jurídico e diplomático, educativo e, político, bem como “a comprovada existência de opções discutíveis, incongruências e ambiguidades do Acordo Ortográfico do ponto de vista técnico” (e isso até os defensores do AO admitem), recomenda, em traços gerais, o seguinte: 1) “Que o Governo dê início a uma negociação político-diplomática” na CPLP “com vista à discussão da situação actual ao nível da aplicação do Acordo Ortográfico de 1990 e a ponderação das decisões mais adequadas neste domínio, incluindo a possibilidade e o interesse de se dar início a um processo de alteração ou aperfeiçoamento do actual Acordo ou à negociação de um novo Acordo Ortográfico.” 2) “A constituição de uma Comissão Científica Independente para a Ortografia” que acompanhe tal processo; 3) “A realização de estudos, envolvendo os serviços do Estado e as comunidades académica, científica, literária e profissionais, com vista à avaliação das implicações da aplicação do Acordo Ortográfico no sistema educativo, no mercado editorial e na imprensa, bem como ao nível da estabilidade ortográfica nos serviços públicos e nas publicações oficiais.” Seria bonito, pelo que se conhece, ler o resultado de tal estudo…

Mas o que está aqui em causa é uma coisa bastante simples: ou o Grupo de Trabalho cumpre a sua missão, honrando o Parlamento (goste-se ou não das conclusões e recomendações – mas isso, com eleições à vista, há-de ficar para outro governo), ou arrumarão todo o trabalho que teve, e não foi pouco, na gaveta das decisões para lamentar. Deixemo-nos de rodeios: de todos os temas submetidos ao Parlamento, o único a que se pede “xiu”, o único tratado como tabu, é o deste Acordo Ortográfico. Tem-se discutido abertamente (e bem!), esgrimindo argumentos opostos, o aborto, a eutanásia, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a adopção, mas quando se chega ao Acordo Ortográfico, logo surge uma barreira, um temor, um incómodo. E, no entanto, a palavra escrita é algo diário, quotidiano, corrente, a que nunca deixamos de estar ligados, seja em que área for. E quem diz a escrita, diz a forma como ela se vai desfigurando, a ponto de doutos senhores afirmarem publicamente que já não sabem bem como se escreve.
Media player poster frame
Ler mais

    Parlamento não se consegue entender sobre o que fazer ao acordo ortográfico

Foi para isto que um punhado de seres se bateu acerrimamente por um Acordo Ortográfico? Não, não foi. Mas é para isso que o temos. Para escrever a calar. Razões, que as leve o vento! O tema da Língua Portuguesa, da sua ortografia (e das necessárias variantes nos países onde ela é falada e escrita) e do seu futuro, apesar das declarações enfáticas de vários governantes, há-de ser tratado como um não-tema ou coisa não discutível, e seria até colocado a seguir à definição da composição da alpista para canários se tal tema fosse agendado no Parlamento.

Pois bem: contrariemos o tabu. É urgente discutir, questionar, pôr em causa o que alguns têm por intocável e imutável. Um acordo é um acordo: faz-se, se é útil; desfaz-se, se é inútil. O que sair sexta-feira do Parlamento deve, pois, ser claro. Só que isso implica coragem. Haverá?

in publico.pt
« Última modificação: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 22h50 por Vasco_da_Gama »
Para aceder à lista 100 Years of Olympic Films, American Experience e IMAX carregue na respectiva imagem

 

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 16 663
  • Tópicos: 3 299

  • : 55
  • : 288

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #1 em: Domingo, 14 de Julho, 2019 - 23h46 »
Não se pode dizer que tenha havido propriamente um acordo, dado que apenas Portugal aplicou as regras do Acordo de 90.
Passaram-se 20 anos e só Portugal, curiosamente o país que, teoricamente, tinha menos interesse em fazer as alterações propostas, leva avante este "acordo".
Veremos o que aí vem, mas há um ditado que diz "O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita"...
Saiba como pesquisar corretamente aqui.
Como transferir do 1fichier sem problemas de ligação? Veja aqui.
Converta os links antigos e aparentemente offline do 1fichier em links válidos. Veja aqui como fazer.
Classifique os documentários que vê. Sugestão de como o fazer.

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #2 em: Domingo, 14 de Julho, 2019 - 23h54 »
Apesar de tudo acho bonito isso tudo, uma língua que se aperfeiçoa, diante de outras, como a que visa dominar o mundo (inglês), e não reconhecem suas inúmeras limitações, sobre o acordo achei ruim para todos os lados, tem que revisar sim.  :conf:
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand:

SierraSprings

  • br

  • Registo: 14 Set, 2018
  • Membro: 59612
  • Mensagens: 40
  • Tópicos: 4

  • : 7
  • : 0

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #3 em: Segunda, 15 de Julho, 2019 - 13h49 »
deveriam aproveitar e remover os acentos diacríticos da língua para o português ficar mais parecido com o o inglês.

não acredito na evolução individual das linguagens, acredito sim na convergência entre elas, vide caso dos algarismos indo-arábicos que são bastante usados pelos chineses e as linguagens de programação de computadores que são escritas em inglês em sua maioria.

nesse processo de convergência a simplificação é geralmente muito mais vantajosa do que a agregação de características linguísticas mais específicas.

seria ótimo algum dia conversar com qualquer pessoa no mundo usando o mesmo tipo de teclado.
« Última modificação: Segunda, 15 de Julho, 2019 - 13h54 por SierraSprings »

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 16 663
  • Tópicos: 3 299

  • : 55
  • : 288

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #4 em: Segunda, 15 de Julho, 2019 - 14h02 »
Não confundamos uma linguagem de programação, que funciona como uma ferramenta, com um linguagem falada e escrita, que representa história e cultura e transmite emoções.
Da mesma forma, a matemática, enquanto ferramenta fixa e imutável, funciona bem como uma ferramenta utilizada na Europa ou na China.
Saiba como pesquisar corretamente aqui.
Como transferir do 1fichier sem problemas de ligação? Veja aqui.
Converta os links antigos e aparentemente offline do 1fichier em links válidos. Veja aqui como fazer.
Classifique os documentários que vê. Sugestão de como o fazer.

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #5 em: Segunda, 15 de Julho, 2019 - 17h07 »
Então vamos todos escrever com ideogramas asiáticos, pois é legal/fixe ...



Uma coisa que percebo com os brasileiros (conheço tipos do norte ao sul) é que eles não dão valor a comunicação, esse tesouro que temos nas mãos ou nas gargantas que é a língua portuguesa, como só se dá valor quando perde, talvez se acontecer o que aconteceu na Grécia ou Egito com a influência árabe e etc, a mudança aconteça.

(p.s: quero ver digitar rápido com o dedinho no celular em chinês ... "mande áudio que não sei português quanto mais chinês").
« Última modificação: Segunda, 15 de Julho, 2019 - 17h16 por feliphex »
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand:

SierraSprings

  • br

  • Registo: 14 Set, 2018
  • Membro: 59612
  • Mensagens: 40
  • Tópicos: 4

  • : 7
  • : 0

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #6 em: Quarta, 17 de Julho, 2019 - 12h49 »
Não confundamos uma linguagem de programação, que funciona como uma ferramenta, com um linguagem falada e escrita, que representa história e cultura e transmite emoções.
Da mesma forma, a matemática, enquanto ferramenta fixa e imutável, funciona bem como uma ferramenta utilizada na Europa ou na China.
as linguagens de programação são a linguagem do século 21, inclusive já podemos chamar de ANALFABETOS DIGITAIS as pessoas que não sabem programar e usar computadores.

nem é preciso dizer que existem VÁRIAS DIFERENÇAS entre uma LINGUAGEM NATURAL e uma LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO, porém as linguagens de programação geralmente SÃO BASEADAS NA LINGUAGEM NATURAIS, especialmente o inglês e por isso compartilham várias palavras com elas.

o inglês tem a vantagem de usar apenas ASCII, isso ajuda a promover a linguagem entre programadores que usem teclados diferentes como o ABNT2 que basicamente contém um ASCII com diacríticos que NÃO ESTÃO PRESENTES na língua inglesa, ou seja, A RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA.

ignorar a importância das linguagens de programação para a nossa época é BURRICE, uma burrice quase tão grande quanto tentar ressuscitar LÍNGUAS MORTAS como no caso do HEBRAICO MODERNO.

devemos apenas contribuir cada vez mais para a EXTINÇÃO e para a CONVERGÊNCIA das linguagens naturais, coisa que já vem acontecendo a séculos em todo o mundo e DEVE CONTINUAR ACONTECENDO no futuro. quem deseja preservar ou estudar DIACRÍTICOS encontrados em línguas naturais que vá a um MUSEU ou a um BIBLIOTECA que é onde elas devem estar junto outras coisas antiquadas como as LIGADURAS TIPOGRÁFICAS.
« Última modificação: Quarta, 17 de Julho, 2019 - 13h10 por SierraSprings »

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 16 663
  • Tópicos: 3 299

  • : 55
  • : 288

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #7 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 02h22 »
A única burrice é confundir uma linguagem informática com uma linguagem humana.
Ninguém nega a sua importância (de outra forma, nem sequer poderíamos estar aqui a comunicar), mas é uma linguagem lógica, estática e não evolutiva, que só pode operar instruções.
Os seres humanos comunicam a vários níveis, e uma linguagem informática não serve para comunicarmos no mundo real, entre nós.
A evolução das linguagens depende de muitos fatores, entre eles a distância entre interlocutores ou grupos de interlocutores.
Se a Internet desaparecesse por algum motivo, as linguagens humanas voltariam a divergir, em vez de convergir. É um processo natural, inevitável e necessário. Motivo pelo qual se distinguem entre "linguagem morta" e "linguagem viva".
Saiba como pesquisar corretamente aqui.
Como transferir do 1fichier sem problemas de ligação? Veja aqui.
Converta os links antigos e aparentemente offline do 1fichier em links válidos. Veja aqui como fazer.
Classifique os documentários que vê. Sugestão de como o fazer.

Zé Henrique

  • br

  • Registo: 07 Dez, 2016
  • Membro: 55542
  • Mensagens: 655
  • Tópicos: 45

  • : 130
  • : 1

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #8 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 02h38 »
Acho que Sierra está certo mas o Fraga também. As duas linguagens poderiam convergir como disse o Sierra, pois adequar as duas linguagens facilitaria muito,
mas sem perder a identidade cultural como quer o Fraga. Mas sem encher de acentos e tal. Achando-se um meio termo, todos só tem a ganhar. Ninguém pode negar que num futuro próximo,
todos vão ter que saber programar, inclusive eu.  :tth:
« Última modificação: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 02h43 por Zé Henrique »

SierraSprings

  • br

  • Registo: 14 Set, 2018
  • Membro: 59612
  • Mensagens: 40
  • Tópicos: 4

  • : 7
  • : 0

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #9 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 15h03 »
A única burrice é confundir uma linguagem informática com uma linguagem humana.
Ninguém nega a sua importância (de outra forma, nem sequer poderíamos estar aqui a comunicar), mas é uma linguagem lógica, estática e não evolutiva, que só pode operar instruções.
Os seres humanos comunicam a vários níveis, e uma linguagem informática não serve para comunicarmos no mundo real, entre nós.
A evolução das linguagens depende de muitos fatores, entre eles a distância entre interlocutores ou grupos de interlocutores.
Se a Internet desaparecesse por algum motivo, as linguagens humanas voltariam a divergir, em vez de convergir. É um processo natural, inevitável e necessário. Motivo pelo qual se distinguem entre "linguagem morta" e "linguagem viva".
quando escrevi "nem é preciso dizer que existem VÁRIAS DIFERENÇAS entre uma LINGUAGEM NATURAL e uma LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO" significava que SEI MUITO BEM QUAIS SÃO ESSAS DIFERENÇAS, quem não sabe quais são essas diferenças aparentemente é VOCÊ ao dizer que a linguagens de programação é "estática e não evolutiva" sendo que ela é DINÂMICA e EVOLUI a cada nova versão ou até mesmo a cada utilização.

não leve para o lado pessoal, SOU PROGRAMADOR e até entendo a sua ignorância já que aparentemente VOCÊ NÃO É PROGRAMADOR ou pelo menos não está muito familiarizado com o FUNCIONAMENTO e a EVOLUÇÃO das linguagens de programação.

nas linguagens de programação cada usuário é LIVRE para adicionar novas FUNÇÕES a elas e escolher PRINCÍPIOS DE PROGRAMAÇÃO específicos dentro de um PARADIGMA DE PROGRAMAÇÃO, ou seja, o usuário escolhe respeitar regras comuns estabelecidas pela comunidade ou escolhe criar suas próprias regras e sugerir que as sua comunidades as respeite. essas regras são chamadas de BOAS PRÁTICAS ou RECOMENDAÇÕES.

como pode perceber, mesmo dentro das linguagens de programação existe GRAMÁTICAS e REGRAS específicas a serem seguidas. além do mais, as linguagens naturais JÁ FORAM EQUIPARADAS as linguagens de programação através da GRAMÁTICA UNIVERSAL que surgiu a partir do trabalhos dos linguistas Noam Chomsky e Richard Montague, ou seja, NÃO HÁ BURRICE ALGUMA em comparar as linguagens naturais com as linguagens de programação.

cada linguagem EVOLUI, conforme o tempo vai passando ela ganha novas funções nativas, recursos, palavras e funções que antes não existiam. NÃO CREIO que a internet vá desaparecer a algum dia, mas já não tenho tanta certeza sobre as linguagens naturais. também NÃO CREIO que a TORRE DE BABEL seja algo plausível, NEM PASSADO e NEM NO FUTURO.

por coincidência acabou de sair ESSE VÍDEO do Normose que achei relevante para a nossa discussão. ele diz que o que constitui a língua é a COMUNIDADE de falantes, que "a língua não é uma construção que os gramáticos fizeram e, que é FECHADA E HERMÉTICA, ela é UMA COISA VIVA, ela SE TRANSFORMA".

não me leve a mal, RESPEITO os portugueses e a língua portuguesa em si, apenas acho que a LÍNGUA NÃO DEVE PARAR NO TEMPO, ela PRECISA EVOLUIR SEMPRE, mesmo quando isso significa TORNAR-SE MAIS SIMPLES E INTERNACIONALIZADA. espero que goste DO VÍDEO.
« Última modificação: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 15h55 por SierraSprings »

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 16 663
  • Tópicos: 3 299

  • : 55
  • : 288

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #10 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 18h28 »
Quando eu digo que é uma linguagem morta, não quer dizer que ela não evolua. É óbvio que evolui. E tem regras, muitas regras. Aprendi cinco linguagens de programação e sei como funciona o sistema.
Ela não evolui é sozinha. E só evolui por quem se interessa por informática, porque quem a programa. Ela não é dinâmica, no sentido de fazer perguntas, por exemplo, só reage a instruções.
Ao contrário de uma linguagem humana, que evolui todos os dias, com contributos de toda a gente, mesmo dos "analfabetos".

Pensar que 6 mil milhões de pessoas irão um dia falar a mesma linguagem, segundo as mesmas regras, é de alguém que não percebe a dinâmica e a complexidade de uma linguagem, influenciada por geografia, clima, política grupal, idade, economia, etc.
Saiba como pesquisar corretamente aqui.
Como transferir do 1fichier sem problemas de ligação? Veja aqui.
Converta os links antigos e aparentemente offline do 1fichier em links válidos. Veja aqui como fazer.
Classifique os documentários que vê. Sugestão de como o fazer.

SierraSprings

  • br

  • Registo: 14 Set, 2018
  • Membro: 59612
  • Mensagens: 40
  • Tópicos: 4

  • : 7
  • : 0

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #11 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 19h48 »
Quando eu digo que é uma linguagem morta, não quer dizer que ela não evolua. É óbvio que evolui. E tem regras, muitas regras. Aprendi cinco linguagens de programação e sei como funciona o sistema.
Ela não evolui é sozinha. E só evolui por quem se interessa por informática, porque quem a programa. Ela não é dinâmica, no sentido de fazer perguntas, por exemplo, só reage a instruções.
Ao contrário de uma linguagem humana, que evolui todos os dias, com contributos de toda a gente, mesmo dos "analfabetos".

Pensar que 6 mil milhões de pessoas irão um dia falar a mesma linguagem, segundo as mesmas regras, é de alguém que não percebe a dinâmica e a complexidade de uma linguagem, influenciada por geografia, clima, política grupal, idade, economia, etc.
já ouviu falar de algoritmo evolutivo? algoritmos genéticos? redes neurais? processamento de linguagem natural (NLP)? acho que você não anda programando muito ultimamente. já existem até sistemas que usam NLP para transformar voz em códigos de computador e vice e versa.

como assim NO SENTIDO DE FAZER PERGUNTAS? se você PERGUNTAR ALGO PARA A LÍNGUA PORTUGUESA será que ela vai responder? e se você PERGUNTAR EM PORTUGUÊS para uma pessoa que SÓ FALA INGLÊS essa pessoa vai entender? claro que não pois se não existir um ENTENDIMENTO PRÉVIO DA LINGUAGEM UTILIZADA é impossível haver comunicação, pois como foi dito no vídeo "comunicação não é O QUE VOCÊ FALA, é O QUE O OUTRO ENTENDE".

não sei que linguagens você usa (seria COBOL ou FORTRAN?) mas as linguagens de programação modernas possuem gerenciadores de pacotes, repositórios públicos de código aberto, dialetos, atualizações diárias e versionamento semântico que fazem com que a linguagem EVOLUA ao ponto em que a linguagem que utilizamos hoje já não seja a mesma utilizada no dia seguinte.

linguagens de programação contribuem também para quem não sabe programar, basta pensar sobre a presença de linguagens de programação em TODOS DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS QUE NOS CERCAM, desde equipamentos agrícolas, equipamentos médicos até satélites meteorológicos.

nunca disse que 6 ou 7 bilhões de pessoas vão falar a mesma linguagem, apenas disse que a tendência é as linguagens naturais se APROXIMAREM cada vez mais ao invés de se ISOLAREM e caírem em desuso diante de novas linguagens mais populares e simples. não estou apenas PENSANDO sobre isso, estou AFIRMANDO que isso é uma TENDÊNCIA QUE JÁ EXISTE A MUITO TEMPO e que vem se intensificando desde o surgimento dos primeiros caminhos da ROTA DA SEDA a uns 10 mil anos atrás, talvez até bem antes disso.

na minha opinião a linguagem natural vai cair em desuso após a popularização da INTERFACE CÉREBRO-COMPUTADOR (BCI), mas isso ainda deve demorar alguns anos até começar a acontecer de fato.

até que a BCI se popularize o que continuaremos a ver é um aumento da comunicação através de imagens (especialmente GIFs e vídeos) e da aproximação de linguagens através de sistemas de tradução associados a realidade aumentada, como é o caso da última versão do Google Translator que  já traduz imagens para texto em tempo real através da câmera ou o Google Translatotron que já traduz de voz para voz imitando a voz original.
« Última modificação: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 20h15 por SierraSprings »

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #12 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 22h09 »
Lendo tudo, depois comento!  :pop:  :pop:  :pop:



Tirar meu dia para ler que computadores tem uma "linguagem complexa e evolutiva" e não só códigos que determinam algo é de dar uma dor no pâncreas ... lembro da minha Universidade (e a que o Zé Henrique pretende estudar) onde o curso de Computação era o pior de todos, as pessoas não eram capazes de manter uma conversa de alto nível por 15 segundos, humanamente desprogramados, literalmente.

Se chegassem aqui e dissessem "vou ajudar vocês com isso, isso, isso ... não sei fazer legenda mas sou bom nisso e aquilo ..." pelo contrário como no punk rock "faça você mesmo".

E a cultura como fica? Agora o pior é pedir a morte do Português justamente aqui ... ai meu pâncreas!  :conf:
« Última modificação: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 22h33 por feliphex »
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand:

Vasco_da_Gama

  • Releaser
  • Uploader
  • Postador de Legendas
  • Arquivista
  • pt

  • Registo: 12 Dez, 2009
  • Membro: 9955
  • Mensagens: 4 358
  • Tópicos: 2 297

  • : 0
  • : 219

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #13 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 22h47 »
Ainda a procissão vai no adro!

Editei o 1º post,adicionei um artigo do publico que saiu hoje.
Para aceder à lista 100 Years of Olympic Films, American Experience e IMAX carregue na respectiva imagem

 

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #14 em: Quinta, 18 de Julho, 2019 - 23h05 »
Para levantar o nível do tópico e em defesa da nossa língua coloco e analiso no final essa letra (CPM 22 - Sofridos e Excluídos).


Nosso sistema funciona de um jeito que ...
Os mais sofridos são sempre excluídos no poder
Abandonados, passou no jornal eu vi
Esgoto aberto ar contaminado
Cheiro de matar soldado
Buscando sobrevivência
Morando ao lado no bairro da penitencia
Foi condenado viver é sua sentença


Amargurado, cansado de só ouvir
Está revoltado, se sente humilhado
Não quer ir para o trabalho, não quer mais se divertir
O seu legado ser sempre um soldado
Um homem que não se acomoda
Buscando sobrevivência
Morando ao lado no bairro da penitencia
Foi condenado viver é sua sentença


Acostumado a ser mal tratado
Agora é sua vez ...
Resolveu não ser um coitado
Não quer mais, não vai se omitir
Em busca de uma vale encantado
Motivos pra sorrir
Não vai mais se esconder no fato
De ter nascido sem sorte.


Percebam que destacado em azul está o suposto "refrão", em uma estrutura totalmente inovadora
e sem ser engessado como algo que teria entrada e saída, repete 2 vezes e um abraço, está como algo fluído entrando (e "subindo" a música) na hora certa e ajudando a complementar a história, essa que imediatamente é alusiva a nossa realidade e nos prende em um trilho condutor. Sobre as rimas, também não seguem um padrão clássico e também se localizam de tal forma para temperar a história contada, tudo "desprogramado".
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand:

SierraSprings

  • br

  • Registo: 14 Set, 2018
  • Membro: 59612
  • Mensagens: 40
  • Tópicos: 4

  • : 7
  • : 0

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #15 em: Sexta, 19 de Julho, 2019 - 00h21 »
Tirar meu dia para ler que computadores tem uma "linguagem complexa e evolutiva" e não só códigos que determinam algo é de dar uma dor no pâncreas ... lembro da minha Universidade (e a que o Zé Henrique pretende estudar) onde o curso de Computação era o pior de todos, as pessoas não eram capazes de manter uma conversa de alto nível por 15 segundos, humanamente desprogramados, literalmente.
(...)
E a cultura como fica? Agora o pior é pedir a morte do Português justamente aqui ... ai meu pâncreas!  :conf:
existem linguagens programação de ALTO NÍVEL e de baixo nível, programas estocásticos de inteligência artificial que rodam ALGORITMOS NÃO DETERMINÍSTICOS e programas clássicos que rodam algoritmos determinísticos. se você não percebe a diferença entre essas coisas DIFICILMENTE entenderá o tipo de evolução e complexidade a que estou me referindo.

não estou pedindo a "morte do Português", apenas a evolução da língua, mais especificamente o ABANDONO COMPLETO DOS ACENTOS DIACRÍTICOS como forma de aproximar a língua portuguesa da língua inglesa. não acho que esteja pedindo demais já que houve um abandono parcial já no Acordo Ortográfico de 1990 com a supressão dos acentos gráficos que já ajudou a aproximar a escrita do Brasil e de Portugal.
« Última modificação: Sexta, 19 de Julho, 2019 - 00h51 por SierraSprings »

SierraSprings

  • br

  • Registo: 14 Set, 2018
  • Membro: 59612
  • Mensagens: 40
  • Tópicos: 4

  • : 7
  • : 0

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #16 em: Sexta, 19 de Julho, 2019 - 00h31 »
Se chegassem aqui e dissessem "vou ajudar vocês com isso, isso, isso ... não sei fazer legenda mas sou bom nisso e aquilo ..." pelo contrário como no punk rock "faça você mesmo".
não tenho muito tempo para ajudar com as traduções, porém tenho ajudado sincronizando as legendas, atualizando os magnets e alertando sobre links quebrados ou informações incompletas, tá bom assim?  :lol:

tenho esperanças de que um dia será possível traduzir as legendas de forma simples e rápida usando o Google Translator ou convertendo diretamente a voz dos vídeos para legendas. se você conhece algum site que faz isso por favor me diga pois os que conheço geralmente traduzem apenas de maneira parcial e lenta.

respeito e admiro o trabalho do pessoal que faz legendas e traduções, porém prefiro gastar meu tempo construindo ou utilizando uma ferramenta que faça isso automaticamente ao invés de fazer isso apenas manualmente.
« Última modificação: Sexta, 19 de Julho, 2019 - 00h51 por SierraSprings »

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 16 663
  • Tópicos: 3 299

  • : 55
  • : 288

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #17 em: Sexta, 19 de Julho, 2019 - 19h17 »
A evolução da língua que preconizas é precisamente a mutilação de uma em detrimento de outra "para ficar mais parecida"?
Que argumento é esse?
Será que o alemão quer aproximar a sua língua do inglês? Será que o chinês quer aproximar a sua língua do inglês? Será que o italiano ou espanhol querem aproximar a sua língua do inglês? Qual o problema dos diacríticos? Todas as línguas indo-europeias têm diacríticos, à excepção do inglês (apesar de haver palavras que os têm).
O facto de uma língua não ter diacríticos não quer dizer que seja mais avançada ou melhor. Muito pelo contrário...
Mas não vou entrar em pormenores linguísticos e etimológicos. O latim também não tinha diacríticos, no entanto, "morreu" e deu origem a imensas linguagens que os usam.

Confundes línguas com dialetos(que tendem a desaparecer com o encurtar das distâncias culturais) e com linguagens informáticas que servem apenas de ferramentas para comunicar instruções e metes tudo no mesmo saco. Uma linguagem só é uma linguagem se puder ser falada por todos dentro de um determinado grupo social. Uma linguagem fechada, conhecida apenas por "meia dúzia" de pessoas, não é uma linguagem como eu a entendo. É uma ferramenta que serve para atingir um determinado fim. Tem uma dinâmica totalmente diferente, embora com regras e estrutura, obviamente. O seu fim é totalmente diferente e existe apenas numa esfera restrita e tecnológica.
Uma linguagem tem de ser vocalizada, sentida e democrática. Um ser vivo que se transmite de geração em geração, de cultura em cultura. Tudo o que tu falas em termos tecnológicos é semelhante à matemática. Aliás, é baseada na matemática, uma linguagem inventada para descrever e explicar o mundo. Quando digo que uma linguagem informática não recebe perguntas, apenas instruções, quer dizer que é unidirecional, só responde se já tiver a resposta, que lhe foi instruída antecipadamente.
Numa linguagem humana, a linguagem não espera que lhe dês instruções, ela tem um motor por trás dela que pensa, que reage, que muda consoante a personalidade da pessoa, da sua cultura, da sua educação. Tem estruturas tão complexas que não há regras que as limitem. Permite erros espontâneos sem que o sistema fique à espera de nova instrução.
Um dia, a tecnologia terá atingido um nível tal, com base num poder de processamento maior que o nosso cérebro, que lhe permitirá cobrir todas as probabilidades linguísticas, tal como um computador sabe de antemão todas as jogadas num tabuleiro de xadrez. Mas, como quem viu Blade Runner saberá, continuará a ser uma linguagem com base em instruções, incapaz de criar calão, expressões idiomáticas, ditados populares ou criar um poema como os que saíram do cérebro de Fernando Pessoa.


Concordamos em discordar, então. Não quero fazer aqui nenhuma dissertação de mestrado e a disponibilidade para discutir assuntos estéreis também não é muita, mas fica um tópico lançado para muita discussão, que é o que mais falta aqui neste (e em todos?) fórum.



não estou pedindo a "morte do Português", apenas a evolução da língua, mais especificamente o ABANDONO COMPLETO DOS ACENTOS DIACRÍTICOS como forma de aproximar a língua portuguesa da língua inglesa. não acho que esteja pedindo demais já que houve um abandono parcial já no Acordo Ortográfico de 1990 com a supressão dos acentos gráficos que já ajudou a aproximar a escrita do Brasil e de Portugal.
Saiba como pesquisar corretamente aqui.
Como transferir do 1fichier sem problemas de ligação? Veja aqui.
Converta os links antigos e aparentemente offline do 1fichier em links válidos. Veja aqui como fazer.
Classifique os documentários que vê. Sugestão de como o fazer.

Zé Henrique

  • br

  • Registo: 07 Dez, 2016
  • Membro: 55542
  • Mensagens: 655
  • Tópicos: 45

  • : 130
  • : 1

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #18 em: Sexta, 19 de Julho, 2019 - 20h15 »
tenho esperanças de que um dia será possível traduzir as legendas de forma simples e rápida usando o Google Translator ou convertendo diretamente a voz dos vídeos para legendas. se você conhece algum site que faz isso por favor me diga pois os que conheço geralmente traduzem apenas de maneira parcial e lenta.

Sierra Springs, meu caro, esse é meu sonho de consumo. Um tradutor que transmite direto a voz dos videos para legendas. Acredito que devem estar bem perto de conseguir.

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Re: Vem aí um novo Acordo Ortográfico?
« Resposta #19 em: Sábado, 20 de Julho, 2019 - 01h20 »
Quando digo que uma linguagem informática não recebe perguntas, apenas instruções, quer dizer que é unidirecional, só responde se já tiver a resposta, que lhe foi instruída antecipadamente.

Isso é que é alto nível amigos, digno de trabalho universitário ...  :clap:

Já que estamos falando de línguas mortas, nunca achei o latim pai e mãe do italiano e outras, sempre achei uma língua "angelical" das igrejas e o italiano correndo por fora nas ruas, nas óperas, algo popular, então isso quebraria tudo e a origem das línguas "latinas" estaria em outro lugar que a História ainda não cogitou.  :conf:
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand: