Autor Tópico: Matrix 4 e a missão impossível do roteiro em salvar a humanidade. (análise)  (Lido 145 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Matrix é um filme de 1999 e que está com a sua 4ª parte em estágio de filmagens, gerando ceticismo em mim quanto a coragem dos responsáveis em continuar uma saga tão fraudulenta em entregar roteiros com coerência e qualidade das sequências (2 e 3), quanto o 1º filme, um marco no cinema, recheado de referências como exemplo o coelho branco de Alice, entre outros, um filme que deve ser base para qualquer um que almeje ser alguma coisa na área.

Uma grande falha no roteiro que direciona para caminhos de clichês (casal salvando a terra, romance "sofrência", salvar personagem secundário importante que o público "morre" se ele morrer, então todos se contorcem torcendo) é exatamente quando Neo descobre através de Morpheus que as máquinas venceram uma guerra e tomaram o controle da terra, OPS! Já vimos isso?


O Exterminador do Futuro: A Salvação (2009) (obs: esse com Christian Bale)

Desse jeito Neo vai ficar perdido entre a Matrix e a realidade para sempre, no maior BUG da história. Roteiristas odeiam ir para caminhos que já foram trilhados no passado, é como se outras mãos alterassem uma obra original, sob a desculpa de que assim faria mais sucesso, de que existem fórmulas de sucesso que o público ama, traduzindo = clichês.



E se por acaso a terra tivesse sido dominada por uma facção de humanos que resolveram escravizar o resto de nós através do controle via máquinas e para amenizar nossas revoltas nos conectaram em uma Matrix bem "boazinha", ou seja uma distopia totalitarista. Muito crítico e revolucionário? Bem, algo parecido foi feito e exatamente em um filme que é quase uma cópia de Matrix, e é justamente com Christian Bale,


Equilibrium (2002)

Sinopse do Equilibrium:
"A história se passa em um futuro distópico, após uma terceira, e destruidora, guerra mundial. A sociedade é controlada por um regime totalitário, que obriga a população a tomar uma droga chamada Prozium que anestesia emoções, prevenindo tensões sociais."

Parece que algum roteirista insatisfeito procurou alguém que fizesse seu filme sem muitas alterações e mais coerente ... (eu particularmente gosto mais de Equilibrium).

Por fim ressalto a relação de tomar um remédio em Equilibrium quase que explicando melhor a pílula azul ou vermelha de Matrix.

Por: Feliphex - Formado em Geografia, projeto de escritor do livro que sai ano que vem (sempre temos um ano que vem), e amante dos documentários.
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand:

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 633
  • Tópicos: 130

  • : 44
  • : 19

Re: Matrix 4 e a missão impossível do roteiro em salvar a humanidade. (análise)
« Resposta #1 em: Terça, 10 de Março, 2020 - 01h12 »
Trinity a "imorrível", morreu no 2 , morreu no 3 e agora está de volta no 4.

E se ela fosse a verdadeira arquiteta nesse possível roteiro original que estou conspirando ? O Pai, o Filho e o Espírito Santo ... o Filho = Neo, o "Espírito Santo" = Agente Smith e o Pai na verdade a Mãe => Trinity (Trindade em português).  :good:

Mais uma pista disso pode ser o diálogo inicial entre ela e Neo:

"Neo: Você é o Trinity? É que pensei que fosse um homem.
Trinity: Quase todos acham."  :pop:
« Última modificação: Sábado, 28 de Março, 2020 - 00h05 por feliphex »
Campanha: Baixe e deixe semear! Ajude um irmão que quer baixar também! Juntos somos mais! Abrace essa causa!  :hand: