Autor Tópico: "Oh diga, você pode ver? Minha bandeira ainda tremula?" A Morte do Samba - Texto  (Lido 220 vezes)

0 Membros e 1 visitante estão a ver este tópico.

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 679
  • Tópicos: 477

  • : 84
  • : 34

Nota de retratação

Em um post no tópico do documentário As Pastoras – Vozes Femininas do Samba, eu disse que num desfile envolvendo a escola de samba Império Serrano tinha sido uma grande vergonha, na verdade venho por meio desta me retratar perante todos para resguardar a imagem da mesma e das escolas de samba em geral, e digo que na verdade aquilo foi mais, foi um crime contra a cultura brasileira que deveria ter sido investigado pela polícia, um assassinato diante de nossos olhos, transmitido pela televisão, fato que ajuda a corroborar o processo de "desbrasileirização", a morte da nossa essência agora na cultura.

(em 2018 a pesquisadora Raquel Valença foi obrigada pela diretoria da escola de samba Império Serrano, com risco de expulsão, a se retratar por criticas que ela vinha fazendo à escola, isso ferindo o direito de liberdade de expressão da mesma, isso sendo um aviso dela antes de culminar no fatídico desfile citado. Caso Rachel: Convocação extraordinária do Conselho do Império Serrano mobiliza escola)



O Império Serrano é dono de uma parcela cultura no carnaval riquíssima que envolve os mais belos sambas já feitos, mas como deve pensar um fundador de qualquer escola pequena lá atrás? (pois toda escola grande já foi pequena). Antes ele tinha que fazer de tudo, bater prego, costurar na mão, empurrar os pequenos carros alegóricos, matar o animal para dar de comer primeiro aos integrantes que trabalham de graça até hoje, na bateria, na ala de passistas, na ala das baianas, e para depois fazer o instrumento com seu couro ... entre outras coisas. Ele morreu, e na condição imposta pela vida pós-morte viu sua escola ficar gigante, mas depois entrar em decadência, venderam tudo, venderam o enredo para falar do Marrocos, que no final o Marrocos não pagou nada, homenagearam ator da TV Globo que não tinha nada de interessante e não receberam nada, bicheiros e contraventores dominaram tudo, eles são os sacerdotes da TV Globo e todo mundo diz amém, "que a Globo esteja no meio de nós, ela está no meio de nós, mesmo em decadência demitindo todo mundo, amém"; e o fundador e sua família ainda viva, o que pensam?

Eles devem pensar igual ao belo hino dos Estados Unidos ....

Hino dos Estados Unidos

"Oh, diga, você pode ver?
Na primeira luz do amanhecer,
O que tão orgulhosamente nós saudamos,
No último brilho do crepúsculo?

Cujas faixas largas e estrelas brilhantes.
Durante a perigosa luta,
Sobre as muralhas assistimos,
Ondulando tão imponentemente?

E o clarão vermelho dos foguetes.
As bombas explodindo no ar.
Deu-nos prova, durante a noite,
De que a nossa bandeira ainda estava lá."


Será que a minha bandeira ainda tremula, mesmo rasgada e suja na batalha, ela ainda tremula? Depois de tanta vergonha, ela ainda tremula?


Mestre sala e porta bandeira (Sidclei Santos e Marcella Alves) do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro

Mas o fim não justificou o meio nem o começo ... os desfiles não eram para ser exatamente assim quando foram idealizados e ao longo do tempo os mais velhos foram se desiludindo principalmente com o conceito de luxo e glamour, o pobre que vira "gourmet" uma vez no ano ... chegando a Cartola da Mangueira dizer que "nunca mais desfilaria ..."

Tudo foi criado para ser um grito de protesto ou um tapa na cara do rico de que "nós podemos ... somos poetas, artistas, escultores" mas essa história de "pobre goumert" surgiu para atrapalhar tudo já na época de Getúlio Vargas que viu no samba uma forma de manipular a classe pobre, e que tal uma vez no ano fantasiar o pobre de rico e iludir ele, se ele fizer por merecer essa ilusão?

Antes do samba já existiam carros alegóricos. Em 28 de fevereiro de 1854, houve o desfile dos primeiros carros alegóricos movidos a tração animal, no carnaval do Rio de Janeiro.



Mas não era com samba, quem dominava o carnaval eram os "ranchos", com marchinhas de carnaval, depois com Getúlio que veio o martírio anual de ver uma cultura sempre agonizando mas não morrendo ....

Mas tem turismo, dinheiro que entra ... São João no nordeste dura 1 mês e se eles pudessem durava o ano todo, todos os shows são gratuitos e hotéis sempre cheios, nunca teve essa ideia de fazer o pobre de idiota 3 dias e depois sumir, sempre foi turismo ... se entregam 1 mês de carnaval para o verdadeiro povo do samba organizar uma grande festa é outra história, festa pública é sem fins lucrativos, é para movimentar a cidade e o comércio (lógico que sempre com o pão e circo) ...

As arquibancadas no sambódromo da Marquês de Sapucaí, custam entre R$ 160 a R$ 500 para você sentar no cimento duro a noite inteira.

Mas será que eles querem mesmo uma festa organizada, sem drogas, brigas, civilizada e cultural? Não é o que vem acontecendo ultimamente com o investimento no bacanal dos blocos de rua ...


Mais de 500 blocos de rua, no Carnaval do Rio de Janeiro em 2020

"A gente escuta sempre: 'Que pessoal de escola de samba que não tem o que fazer! O que vocês estão fazendo na escola de samba em agosto? Pra quê ? Vocês não tem o que fazer não? Não tem uma louça para lavar não?'

Mas sabe por que a gente vai? Por que na escola de samba nós temos reconhecimento! Aquele senhor que limpa o chão de uma empresa, que ninguém sabe o nome dele, lá é da velha guarda, ele é uma pessoa poderosa. Aquela senhora que serve um cafezinho que ninguém liga para ela, lá ela é baiana, quem vai mexer com baiana gente? Lá as pessoas são respeitadas, o que não acontece na sociedade! Nós temos que saber que nós somos resistência, escola de samba é resistência, para estarmos aqui pessoas tiveram que apanhar, pessoas foram maltratadas, foram desprezadas, a sociedade continua maltratando o negro e o pobre, mas na escola de samba continuamos resistindo. A comunidade não ganha fantasia, a comunidade conquista, pagamos nossa fantasia com o nosso suor, com amor e cantando." - Viviane D'Sousa (Rainha de Bateria da Acadêmicos do Dendê (Ilha do Governador - RJ)



Ass: feliphex - Mestre-Sala na Escola de Samba Desunidos do Meio da Rua.
« Última modificação: Quinta, 28 de Outubro, 2021 - 20h56 por feliphex »
"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 679
  • Tópicos: 477

  • : 84
  • : 34

Re: "Oh diga, você pode ver? Minha bandeira ainda tremula?" A Morte do Samba - Texto
« Resposta #1 em: Sexta, 29 de Outubro, 2021 - 01h12 »
Bônus:

Vídeo de Humor

Um carnavalesco "revolucionando" o carnaval ....

"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 679
  • Tópicos: 477

  • : 84
  • : 34

Re: "Oh diga, você pode ver? Minha bandeira ainda tremula?" A Morte do Samba - Texto
« Resposta #2 em: Domingo, 07 de Novembro, 2021 - 20h34 »
Cidade de São Paulo recebe 867 inscrições de blocos para o carnaval de 2022

Carolina Marins
Do UOL, em São Paulo
07/11/2021 15h27

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/11/07/carnaval-blocos-cidade-sao-paulo-inscricoes.htm

A cidade de São Paulo recebeu 867 inscrições de blocos para os desfiles do carnaval de 2022, segundo informou a prefeitura em nota. As inscrições aconteceram até a última sexta-feira (5). De acordo com a prefeitura, este é o maior número de solicitações do Brasil para 2022, tornando este o maior carnaval de rua do país.

O número este ano, porém, é menor que as inscrições de 2020, quando houve 960 desfiles. A prefeitura ressalta que a realização do evento depende das aprovações dos órgãos de Saúde que avaliam o cenário epidemiológico da pandemia da covid-19. "As documentações para habilitação dos blocos serão analisadas e publicadas conforme as emissões das aprovações", informa.

Os cortejos ocorrerão nos períodos pré, durante e pós carnaval, entre os dias 19 de fevereiro e 6 de março. (16 dias)



Europa volta a ser epicentro de Covid-19 e taxa de transmissão no continente é preocupante, diz OMS

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/11/04/europa-volta-a-ser-epicentro-de-covid-19-e-taxa-de-transmissao-e-preocupante-diz-oms.ghtml

meu amigos paulistas que eu nunca vi usando uma máscara, pois a lata de cerveja sempre na mão impede, mas que vivem chorando os mortos da covid ... agora vão ser obrigados a pular o carnaval com uma máscara especial, com um furo para entrar o canudo da lata. (elas estão bebendo mais que o pai)

Alcoólicos Anônimos do Brasil => https://www.aa.org.br/
« Última modificação: Domingo, 07 de Novembro, 2021 - 20h39 por feliphex »
"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 679
  • Tópicos: 477

  • : 84
  • : 34

Re: "Oh diga, você pode ver? Minha bandeira ainda tremula?" A Morte do Samba - Texto
« Resposta #3 em: Sexta, 08 de Abril, 2022 - 23h53 »
Parte - 2: O dia em que a terra parou (devido ao preconceito) … o ladrão não saiu para roubar e o sambista não tinha samba para sambar …

Vou listar três tipos de preconceitos bem enraizados no dia a dia do brasileiro e que estão ligados ao samba, todos eles se bem utilizados pelas forças aniquiladoras do mal, poderiam alavancar o preconceito racial … ou seja “o pior não é o grito do mal e sim o silêncio do bom”, se o samba fosse melhor trabalhado tanto a “desbrasileirização” quanto o preconceito racial não teriam vez.

(Preconceito Regional)

Certo dia um membro de um grupo folclórico do Maranhão, associado de várias vertentes mas nesse caso especificante da Festa do Divino Espírito Santo no Maranhão (https://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_do_Divino_Esp%C3%ADrito_Santo_no_Maranh%C3%A3o), ele viajou pela primeira vez de avião para trocar experiências culturais com grupos folclóricos também de origem afro-brasileira de Minas Gerais, ele se hospedou na casa de um anfitrião em um quilombo mineiro ... ao ver tamanha familiaridade ao seu redor, declarou: “eu pensei que eu ia viajar para longe, mas acabei perto do mesmo jeito”. E foi dessa forma que o Brasil ficou milionário, ao menos culturalmente. Uma vez um baluarte do samba carioca foi indagado dessa forma: “mestre o samba é da Bahia ou do Rio de Janeiro?”, ele astuciosamente demonstrando sua capacidade de embaixador benemérito respondeu: “o da Bahia é da Bahia e o do Rio é do Rio!” (uma lenda do samba que eu não consigo dizer agora exatamente o nome do filósofo, mas vemos que a ONU perdeu um destaque em acabar com guerras).

"Um negro arrancado da sua terra é jogado no Brasil sem prévio aviso. Passa seis dias apanhando. No sétimo, busca um alento na memória. Sorri, mas só quando pensa nos seus. Batuca, porque na África, de onde ele veio, esse era o convite para dançar, comer e rezar. Assim ele renova as energias que vão permitir que sua pele maltratada resista uma semana mais sob o sol da lavoura e o látigo do colonizador europeu. É um negro escravizado, trazido ao país no século XVI pelos portugueses que chegaram à Bahia pouco antes. Foi ele quem inventou o samba."
https://brasil.elpais.com/brasil/2016/02/06/cultura/1454753237_951814.html
(Samba, o sangue que corre nas veias da Bahia: Negro na origem, o samba mesclou música, comida e religião e ensinou o Brasil a sorrir - El País)


Tuiuti - 2018

Não preciso falar mais nada sobre como o preconceito regional é sem nexo …

(Preconceito Religioso)

O samba que surgiu em um terreiro de candomblé no Rio da Janeiro, da baiana Tia Ciata. O geográfico candomblé … onde uma mora no mar, outra mora no rio, outro na floresta, outro na pedreira (montanha), e outro sem poder financeiro, dignidade e direitos, mora na cidade grande, onde as ruas são sua cama e as desventuras seu travesseiro, Exú, que está mais próximo de nós dormindo na esquina, mas que para muitos é o diabo e o querem longe, pois no cristianismo não é possível acreditar em Deus sem acreditar no diabo, então como muitos estão irritados e frustrados pois nunca veem Deus, então estão sempre assustados pois estão vendo o diabo em tudo e em todos, ou nesse caso é melhor não ver ou continuar fingindo que não vê … e disso vem as doenças do século XXI, depressão e etc! E a quantidade de vizinhos psicopatas só aumenta …  :eek:

"Eu quero é Sambar! A cura do corpo e da alma no Samba está .... sou Imperatriz, sou raiz e não posso negar: se alguém me decifrar .... É verde e branco meu DNA!" Samba - Imperatriz Leopoldinense - 2011

(Preconceito Cultural)

Com o advento do maldito TikTok foi inventada uma dança digna (ou não) de uma análise antropológica, a dança sem sair do lugar apenas mexendo as mãos, e se o samba fosse assim? Pois em São Paulo alguém determinou que as escolas de samba dançariam militarmente sem sair do lugar apenas mexendo as mãos, com a desculpa de que poderia cair algo da fantasia (sem sentido), chegando ao ponto da Gaviões da Fiel vir em 2020 sem ala de passistas, ou seja preconceito cultural dentro do próprio carnaval, e a “desbrasileirização” se sustentando … (para desespero do meu coração e pergunta: “já virou TikTok e vão acabar logo com minhas mulatas passistas?”).


Mangueira em 2018

A comissão de frente da Mangueira em 2018 demonstrava o verdadeiro Povo do Samba derrubando grades e ocupando seu espaço de direito: a Avenida Sapucaí. Uma vez no youtube, vi um grupo de dança tradicional de Portugal (não achei o nome mesmo  :tth:), parar seu deslocamento na rua, enfileirarem na lateral e esperarem um outro grupo passar para aplaudi-los, mas fazer isso na rua é mais fácil, agora, como fazer isso em um lugar onde é proibido você entrar para aplaudir sua própria escola de samba com a segregação social da Sapucaí? Imaginem uma escola de samba parando para aplaudir outra, o nível de satisfação deveria durar o ano inteiro … e a que não pararia para aplaudir ninguém? Só é possível amar o próximo quem frutifica amor no coração e primeiro começa se amando ...

"Uma história de amor, sem ponto final, Academia do samba é salgueiro, no livro do meu carnaval ..." Samba - Salgueiro 2010



Assinado: Feliphex, mestre de bateria na Escola Desafinados do Samba Atravessado

p.s.: O Dia Em Que a Terra Parou é uma música de raul Seixas https://www.letras.mus.br/raul-seixas/48325/
« Última modificação: Sábado, 09 de Abril, 2022 - 03h18 por feliphex »
"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 679
  • Tópicos: 477

  • : 84
  • : 34

Re: "Oh diga, você pode ver? Minha bandeira ainda tremula?" A Morte do Samba - Texto
« Resposta #4 em: Quinta, 14 de Abril, 2022 - 02h36 »
Complemento da Parte - 2

acabei completando essa frase só depois, assim ...

(Preconceito Religioso)

O geográfico candomblé … onde uma mora no mar, outra mora no rio, outro na floresta, outro na pedreira (montanha), e outro sem poder financeiro, dignidade e direitos, mora na cidade grande, onde as ruas são sua cama e as desventuras seu travesseiro, => e o seu cobertor quente é a certeza de que tudo ao seu redor está pior do que ele ... Exú .... (etc)

(desculpem se a criatividade só vem quando ela quer ...)

fiz essa parte de Exú baseado em pesquisas sobre a Umbanda que é uma religião espírita que aceita espíritos "rejeitados" mendigos, prostitutas, escravos ... etc ...

acabei achando no "Pai de Santo Google" depois, esse relato emocionante de uma participante da religião:

"No domingo recebi minha irmã com meu cunhado e meus sobrinhos para um café em casa, por volta das 21:00h minha irmã estava saindo para ir embora e antes de abrir o portão escuto bater palmas bem forte do outro lado do muro, pergunto: "quem é?", e do outro lado uma voz bem forte responde: ”boa noite senhora! desculpe incomodar essas horas, mas estou arrecadando roupas a senhora teria algumas peças para doar?” gritei do lado de dentro: "sim! espera um pouquinho!",  (...) Entreguei a sacola e falei: "tem calças jeans" e ele colocou todas as sacolas no chão pois já estava com várias sacolas nas mãos, olhou bem dentro dos meus olhos e falou: ”Deus te abençoe! muito obrigado!”  (...) o que ele transmitia era uma gratidão enorme de uma leveza e sinceridade que vinha da alma, uma alma pura que nesses segundos percebi que a mendiga que recebia a esmola em forma de energia era eu." (Katia Morais)
 
completo: https://www.paimaneco.org.br/2017/03/30/linha-dos-mendigos-por-katia-morais/

(Preconceito Cultural)

só depois do texto eu descobri uma coisa que eu nunca tinha visto como preconceito cultural mas que com certeza é, em São Paulo as alas de passistas quase sempre não tem homens, no Rio de Janeiro os homens passistas são um grande espetáculo cultural, dançam que parecem flutuar, e isso é negado para os paulistas ...

"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 679
  • Tópicos: 477

  • : 84
  • : 34

Re: "Oh diga, você pode ver? Minha bandeira ainda tremula?" A Morte do Samba - Texto
« Resposta #5 em: Terça, 17 de Maio, 2022 - 00h51 »
na parte 2 quando eu falei de um "grupo de dança tradicional de Portugal", muito provavelmente era alguma Marcha Popular da festa de Santo António indo se apresentar ... a cidade vou ficar devendo ...



estou preparando a parte 3 (última) dessa série, vou postar essa semana com certeza!

 :good:
"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"