Autor Tópico: Estão servidos? Politécnico de Lisboa serve refeição à base de insetos  (Lido 44 vezes)

0 Membros e 1 visitante estão a ver este tópico.

Homem Nuclear

  • 00

  • Registo: 08 Set, 2011
  • Membro: 24270
  • Mensagens: 52
  • Tópicos: 30

  • : 1
  • : 1

Bufallo, uma espécie de larva: esta massa é feita disto e foi servida no Politécnico de Lisboa



Na tentativa de mudar hábitos alimentares para uma dieta mais sustentável, o Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) serviu esta quarta-feira a primeira refeição do dia feita à base de insetos.

Reportagem no link abaixo.

https://cnnportugal.iol.pt/videos/bufallo-uma-especie-de-larva-esta-massa-e-feita-disto-e-vai-ser-servida-no-politecnico-de-lisboa/62a9920a0cf2ea4f0a4fd7d7


Politécnico de Lisboa pioneiro na introdução de insetos nas refeições das cantinas



Hoje, 15 de junho, a ementa das cantinas do Politécnico de Lisboa incluiu um acompanhamento alternativo, feito à base de insetos - massa espiral de proteína de insetos produzida apenas com sêmola de trigo duro e farinha de buffalo. O IPL é, assim, a primeira instituição de ensino, em Portugal, a incluir este tipo de produtos nas ementas das refeições servidas nas cantinas. Esta iniciativa resulta de uma colaboração dos Serviços e Ação Social do IPL, Totalis e Portugal Bugs.

O facto de ser a primeira refeição com inclusão de insetos, servida numa instituição de ensino, levou a CNN e a SIC a demonstrar interesse em marcar presença na cantina da Escola Superior de Educação de Lisboa (ESELx), para saber mais sobre a iniciativa e obter reações dos utilizadores. Foi, por isso, uma manhã diferente do habitual que gerou curiosidade a quem frequentou a unidade alimentar situada no Campus de Benfica.



Para a repórter da CNN, Inês Martins, foi um regressar a “casa”. Diplomada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, conhece bem o Politécnico de Lisboa e foi com agrado que fez a reportagem e o direto sobre a iniciativa pioneira no ensino superior português, cujo objetivo é diversificar a oferta alimentar disponibilizada à comunidade do Politécnico de Lisboa (IPL), e simultaneamente, a consciencialização para a diminuição da pegada de carbono.



Miguel Palmeiro, estudante da Escola Superior de Música de Lisboa (ESML) foi o primeiro utilizador da cantina no almoço de hoje. Escolheu como acompanhamento a proposta da massa espiral de proteína de insetos e diz ter gostado. Concorda com a introdução de insetos na alimentação, considera ser uma boa forma de diversificar a alimentação. O mesmo refere Ivo, também estudante da ESML, que aceitou escolher a nova proposta de acompanhamento da ementa.

Para Heitor Oliveira, coordenador do Serviço de Alimentação dos Serviços de Ação Social do IPL, “esta ação é representativa da visão do Politécnico de Lisboa para a prestação de serviços alimentares nas cantinas das instituições de ensino superior, inovação constante e disponibilização de uma alimentação diversificada, saudável e sustentável. Esta é apenas uma das muitas iniciativas que temos vindo a desenvolver no âmbito do nosso Programa de Alimentação Saudável e Sustentável.”

Daniel Saldanha, responsável da Totalis, empresa com a responsabilidade de exploração do serviço de refeições no IPL, diz ter aceite, desde logo, o desafio lançado pelos SAS IPL, que contou com o apoio da Portugal Bugs, empresa que tem como missão o desenvolvimento de produtos naturais de insetos para o setor alimentar.



A prática de uso de insetos como fonte de alimento, designada como entomofagia, tem sido abordada nos mais variados fóruns sobre alimentação, vista como forma de contribuir para oferta mais variada e sustentável. De acordo com um relatório de 2013 da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o consumo de insetos é uma alternativa nutricional e saudável, comparável a opções comuns como a carne de frango, porco, vaca e até peixe. Em 2021, a União Europeia aprovou o primeiro produto derivado de insetos para consumo humano, a farinha produzida a partir de larvas de escaravelho, e nesse mesmo ano, a direção-Geral de Alimentação e Veterinária autorizou a utilização de larvas de Tenebrio molitor, desidratadas para consumo humano no nosso país.

Nas cafetarias das cantinas do Politécnico de Lisboa já está, entretanto, disponível uma alternativa de chocolate negro com 70% de cacau, sem adição de açucares, polvilhado com Tenebrio molitor, com uma cobertura crocante e semelhante a amêndoas ou amendoins. Nos próximos meses a perspetiva é dar continuidade a esta iniciativa, estando previsto disponibilizar, no início do próximo ano letivo, o primeiro entoburger da Península Ibérica nas cantinas. Este vai ser um substituto ao hambúrguer convencional, sendo produzido apenas com vegetais e insetos.

https://www.ipl.pt/noticias/politecnico-de-lisboa-pioneiro-na-introducao-de-insetos-nas-refeicoes-das-cantinas
« Última modificação: Terça, 21 de Junho, 2022 - 04h59 por Homem Nuclear »
"Se quiser saber quem lhe controla, basta observar a quem você não pode criticar." Autor desconhecido

feliphex

  • Colaborador
  • Releaser
  • Postador de Legendas
  • br

  • Registo: 26 Fev, 2015
  • Membro: 49350
  • Mensagens: 1 714
  • Tópicos: 489

  • : 85
  • : 34

Re: Estão servidos? Politécnico de Lisboa serve refeição à base de insetos
« Resposta #1 em: Terça, 21 de Junho, 2022 - 22h10 »
nosso estômago falando em nome da nossa evolução sempre nos diz que isso é ruim ... :conf:
"A vitória depende mais da vontade de se preparar do que da vontade de vencer!"