Autor Tópico: Cafe de Ideias: Democracia e Sociedade Autoritária (2013)  (Lido 978 vezes)

0 Membros e 1 visitante estão a ver este tópico.

pp1058

  • br

  • Registo: 23 Jun, 2011
  • Membro: 22299
  • Mensagens: 475
  • Tópicos: 236

  • : 0
  • : 0

Cafe de Ideias: Democracia e Sociedade Autoritária (2013)
« em: Segunda, 30 de Dezembro, 2013 - 19h56 »
Cafe de Ideias: Democracia e Sociedade Autoritária



[imdb]

Citar
Há no Brasil um mito poderoso, o da não-violência brasileira, isto é, a imagem de um povogeneroso, alegre, sensual, solidário que desconhece o racismo, o machismo e a homofobia, querespeita as diferenças étnicas, religiosas e políticas, não discrimina as pessoas por sua classe social,etnia, religião ou escolha sexual, etc. Nossa auto-imagem é a de um povo ordeiro e pacífico, alegree cordial, mestiço e incapaz de discriminações étnicas, religiosas ou sociais, acolhedor para osestrangeiros, generoso para com os carentes, orgulhoso das diferenças regionais e, evidentemete,destinado a um grande futuro.

Muitos indagarão como o mito da não-violência brasileira pode persistir sob o impacto daviolência real, cotidiana, conhecida de todos e que, nos últimos tempos, é também ampliada por suadivulgação e difusão pelos meios de comunicação de massa. Ora, é justamente no modo deinterpretação da violência que o mito encontra meios para conservar-se. O mito da não-violênciapermanece porque graças a ele admite-se a existência de fato da violência e pode-se, ao mesmotempo, fabricar explicações para denegá-la no instante mesmo em que é admitida. Para isso,precisamos examinar os mecanismos ideológicos de conservação da mitologia.

http://www.youtube.com/watch?v=aKHvNM72HHo#

"O que nós queremos, o que não gostamos, o que pensamos, o que sentimos: tudo é impermanente. As palavras de elogios ou críticas são impermanentes. Todas vêm e vão. Se entendermos isso, não vamos ficar tão desorientados com os dramas da vida cotidiana."
Chagdud Tulku Rinpoche