Autor Tópico: Irlanda chumba o Tratado de Lisboa  (Lido 1088 vezes)

0 Membros e 1 visitante estão a ver este tópico.

Netyon

  • Retirado
  • pt

  • Registo: 10 Out, 2007
  • Membro: 6
  • Mensagens: 1 010
  • Tópicos: 361

  • : 0
  • : 21

Irlanda chumba o Tratado de Lisboa
« em: Sexta, 13 de Junho, 2008 - 18h10 »
Citar
Irlanda chumba o Tratado de Lisboa

O ‘não’ venceu o referendo irlandês ao Tratado de Lisboa e Europa, com 53,4% dos votos contra os 46,6% obtidos pelo 'sim', segundo os resultados oficiais divulgados na tarde desta sexta-feira, que ditam o fracasso do tratado reformador, que já não entrará em vigor no próximo ano.


A vitória do 'não' era já avançada pelos media desde a manhã de hoje, com as projecções da rádio-televisão pública RTE a indicarem que o ‘sim’ teria apenas hipóteses de vencer em seis dos 43 círculos eleitorais.

Também o ministro da Justiça irlandês, a deputada líder do Partido Trabalhista (a favor do tratado)  e a responsável da campanha do partido nacionalista Sin Féin (contra o tratado) admitiram a vitória do ‘não’ no referendo logo pela manhã.

BARROSO APELA À REFLEXÃO

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, afirmou hoje, ao princípio da tarde, que todos os Estados-membros da União Europeia (UE), incluindo a Irlanda, deverão reflectir sobre o resultado do referendo irlandês.

Barroso apelou ainda à continuação da ratificação do tratado reformador pelos restantes Estados-membros, considerando que o tratado de Lisboa “ainda está vivo”, apesar do ‘não’ irlandês.   'Dezoito (Estados-membros) já aprovaram, um votou contra,  devemos continuar o processo de ratificação e encontrar uma resposta colectiva',  concluiu o presidente do executivo comunitário.

SÓCRATES NÃO SE PRONUNCIA

O primeiro-ministro português, José Sócrates, na presidência da União Europeia aquando o acordo sobre o tratado europeu, recusou esta sexta-feira comentar o referendo irlandês antes de serem divulgados os resultados oficiais.

UE TEM DE AVALIAR  SITUAÇÃO EM CONJUNTO

Reagindo às projecções da votação irlandesa, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Luís Amado, disse hoje que a vitória do ‘não’ implicará uma avaliação em conjunto da UE para encontrar uma saída para a crise.

“A confirmar-se esse resultado, teremos de avaliar em conjunto, desde  logo com o governo irlandês, quais são as opções que nos permitirão sair  da situação de crise em que a Europa continuará mergulhada', declarou o governante.

FRANÇA E ALEMANHA REAGEM EM CONJUNTO

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, informou esta tarde que a França e a Alemanha reagirão em conjunto ao resultado do referendo irlandês, assim que os resultados oficiais sejam conhecidos, escusando-se a comentar as projecções que dão conta da vitória do ‘não’.

No entanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão já se mostrou decepcionado com resultado do referendo irlandês, assim como o seu homólogo belga.

27 DEBATEM SEGUNDA-FEIRA 'NÃO' IRLANDÊS

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE debatem segunda-feira, no Luxemburgo, o resultado do referendo irlandês ao tratado europeu e as suas consequências.

O resultado do referendo irlandês e a resposta da UE à rejeição do Tratado de Lisboa ocupam assim um lugar de destaque na agenda da reunião preparatória da Cimeira de Chefes de Estado e do Governo da UE.


Apesar de reconhecer a minha ignorância sobre as consequências deste Tratado, não deixo de sentir um pontinha de alegria a ver que os senhores políticos da Europa, que nos querem impor mais uma reforma que tem cada vez menos de democracia, tenham sido derrotados pelo povo Irlandês.

Estou curioso para ver qual a forma como vão ultrapassar este Não.
De certeza que já devem estar a engendrar formas de o rejeitar.  :rant: :wall:

FragaCampos

  • Administrador
  • Tradutor
  • Ripper
  • pt

  • Registo: 09 Out, 2007
  • Membro: 1
  • Mensagens: 17 563
  • Tópicos: 3 367

  • : 72
  • : 336

Re: Irlanda chumba o Tratado de Lisboa
« Resposta #1 em: Sexta, 13 de Junho, 2008 - 18h24 »
Apesar do conteúdo do tratado e das implicações que este "Não" possa ter (não é a primeira vez que isto acontece), é de reflectir sobre o facto de a Irlanda ser o único dos 27 países da União Europeia a pedir um referendo público, devido à obrigatoriedade da sua Constituição.
As grandes decisões são cada vez mais tomadas longe dos olhares das pessoas a quem elas se destinam, e o poder de veto é cada vez mais retirado às pessoas.
Estou certo que 95% dos tais 50 e tal por cento dos irlandeses que votaram "não", o fizeram por desconhecer o conteúdo do documento, por não terem sido devidamente informados, ou simplesmente, porque não lhes diz nada.
Quantos portugueses, incluindo eu, ficaram esclarecidos após todo o espectáculo montado aquando da Cimeira de Lisboa?
Há muitas ilações a tirar deste referendo. E não só em relação ao tratado em si, mas também acerca do rumo da Europa e da Democracia em geral.
« Última modificação: Sexta, 13 de Junho, 2008 - 18h31 por FragaCampos »
Saiba como pesquisar corretamente aqui.
Como transferir do 1fichier sem problemas de ligação? Veja aqui.
Converta os links antigos e aparentemente offline do 1fichier em links válidos. Veja aqui como fazer.
Classifique os documentários que vê. Sugestão de como o fazer.

TradTek

  • Tradutor
  • pt

  • Registo: 15 Out, 2007
  • Membro: 15
  • Mensagens: 58
  • Tópicos: 13

  • : 0
  • : 0

  • www.9asideias.com
Re: Irlanda chumba o Tratado de Lisboa
« Resposta #2 em: Segunda, 23 de Junho, 2008 - 19h56 »
Como disse o FragaCampos os irlandêses desconheciam o tratado e como seria de esperar não o aprovaram.
Na minha opinião acho que todas as pessoas deviam ser esclarecidas sobre o que é o tratado bem como outros temas politicos. O ideal seria um programa no horario nobre da televisão nacional, que explica-se os temas que são actualmente debatidos sobre vários pontos de vista.
A simplificação dos votos tambêm devia ser simplificada, a actual é despendiosa e muitas pessoas tem que fazer uma boa caminhada para ir as urnas. Porque é que não os fazem atraves do Pc ? Com as novas técnologias podiamos votar mesmo atravez da nossa televisão, isso sim seria na minha opinião democracia total.