Autor Tópico: O novo documentário sobre os mistérios do maior peixe do mundo nos Açores  (Lido 282 vezes)

0 Membros e 1 visitante estão a ver este tópico.

Web-Man

  • Administrador
  • pt

  • Registo: 17 Dez, 2007
  • Membro: 329
  • Mensagens: 2 937
  • Tópicos: 607

  • : 4
  • : 40

  • Portugal
    • DocsPT
O tubarão-baleia é a estrela do novo documentário “A Ilha dos Gigantes”, de Nuno Sá, que explora os mistérios do maior peixe do mundo nos Açores.



Citar
“A Ilha dos Gigantes” é o novo documentário de Nuno Sá, português que, entre outras distinções, já foi premiado com um BAFTA, pelo seu trabalho na série “Blue Planet 2”, da BBC. A antestreia do seu novo documentário é de entrada gratuita e decorre no dia 8 de junho, às 21h, no cinema São Jorge, em Lisboa.

A estrela da produção é o tubarão-baleia, a maior espécie de peixe do mundo. Além disso, são capazes de mergulhar até aos 2.000 metros de profundidade, um pouco mais do que a altura da Serra da Estrela.
Apesar dos seus 18 metros de comprimento e 34 toneladas, ainda há muito que não se sabe sobre esta criatura. Não há registo de observações da reprodução nem do nascimento dos tubarões baleia.
Ainda assim, apesar do desconhecido que paira sobre esta espécie, alguns dos seus segredos são revelados neste novo documentário de Nuno Sá, escreve o Expresso.

O tubarão-baleia é migratório e tem duas subpopulações distintas: uma atlântica, do Maine e dos Açores ao Cabo das Agulhas, na África do Sul, e uma indo-pacífica que detém 75% de toda a população de tubarões-baleia.
Nuno Sá percebeu que havia agora tubarões-baleia a visitar a ilha de Santa Maria, no arquipélago dos Açores. A sétima arte aliou-se à ciência e não faltou biólogos interessados em partir para Santa Maria à procura de respostas para alguns dos maiores mistérios dos tubarões-baleias.



Citar
“O tubarão baleia apresenta-se como um candidato sério a mostrar até que ponto as alterações climáticas podem alterar a vida dos grandes migradores pelágicos. E o facto de nós termos nos Açores anos excecionais de tubarões baleia coincidentes com os anos de temperatura excecionalmente quente no Verão não nos parece uma coincidência”, disse o investigador Pedro Afonso, que participa no documentário, em declarações ao Expresso.

Em 2020, um estudo sugeriu que é possível que estes tubarões enormes consigam viver até aos 100 anos. A investigação revelou-se crucial para a conservação desta espécie em perigo de extinção. A sua longevidade faz com que seja mais vulnerável a ameaças como a pesca, aquecimento do oceano e colisões com navios.

A narração do filme é feita pelo ator português Diogo Infante. Depois da antestreia no cinema São Jorge, o documentário vai ser exibido, numa data a definir, pela RTP.

ZAP